Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 156

Novo Presente e Outro Aumento de Nível

A verdade, no entanto, era que um policial americano podia matar um cidadão quando determinavam que o último estava ameaçando sua vida, mas não eram obrigados a proteger um cidadão quando a vida deste estava sob ameaça.

A decisão da Suprema Corte em 1981 estabeleceu a regra básica: a polícia americana não tem dever específico de proteger um cidadão.

É claro, a pressão que a mídia colocava na polícia era uma questão diferente.

Na verdade, era a liderança do departamento de polícia, ao invés dos oficiais de baixo nível, que foram afetados pela pressão.

Takagi disse: — Então, certificarei que sua família se divirta em Los Angeles, mas você não deve rejeitar minha gratidão pessoal.

Luke sorriu amargamente: — Mas Sr. Takagi, você me tornará alvo de inveja no meu departamento de polícia.

Ponderando por um momento, Takagi propôs: — Se sim, você gostaria de se tornar chefe de segurança da minha corporação? Seu pagamento anual não será inferior a quinhentos mil dólares.

Luke ficou sem palavras pela oferta de Takagi.

Mas em um segundo pensamento, um pagamento anual de 500 mil era digno de alguém que destruiu 50 assaltantes sem se ferir, e que recuperou ações validas em 640 milhões.

Luke só precisava resolver outra emergência para a Corporação Nakatomi na mesma escala para ser digno desse pagamento.

Ele se desculpou secretamente a Robert quando disse com honestidade: — Sr. Takagi, amo ser um policial. Meu padrasto é um policial e sempre o admirei. Então, receio ter que rejeitar sua oferta.

Takagi suspirou suavemente, sabendo que a crença não poderia ser facilmente substituída por dinheiro.

Só podia dizer: — Tudo bem, tenho uma casa pessoal em Los Angeles que gostaria de te dar. Tudo que precisa fazer é assinar seu nome na escritura. Seus colegas não saberão contanto que não diga nada.

Luke ficou atordoado por quão astuto Takagi era. Ao oferecer uma casa, poderia manter contato com Luke.

Então, foi resolvido. Takagi disse algo sobre o refém morto da noite passada.

O refém era outro gerente sênior da companhia que tentou salvar sua pele ao vender Gennero.

Ele falou com Detetive John pelo walkie-talkie para provar aos assaltantes que o conhecia bem.

Isto convenceu Hans, mas levou um tiro após o último confirmar que sua informação era precisa.

Vários dos empregados da Corporação Nakatomi testemunharam aquele refém sendo levado após se voluntariar para oferecer informação.

Portanto, sua morte não tinha nada a ver com Luke e John.

Os outros cinquenta empregados da empresa que se mantiveram discretos nem foram feridos quando foram resgatados.

Era mais uma prova que a morte do gerente sênior foi sua própria culpa.

Além disso, Takagi mencionou que Hans foi responsável pela morte de um engenheiro de construção de sua empresa.

Os assaltantes torturaram Kiyoshi por informação do layout do Plaza Nakatomi e o mataram após verificar que era verdade.

Luke achou o nome familiar e finalmente lembrou que foi o primeiro caso que ele e a Elsa pegaram quando voltaram.

As coisas acabaram exatamente da maneira que suspeitavam.

Não foi culpa dos dois por não aprofundado mais ainda no caso, pois havia muitos casos similares.

Porém, Luke ainda encontrou aqueles ladrões infelizes no final, embora Elsa não tenha participado da festa.

Ela ligou para Luke naquela noite cheia de arrependimento: — Se eu tivesse visto vindo, teria postergado minha folga por alguns dias.

Luke riu: — Tenho certeza de que teremos mais oportunidades.

Ele realmente não queria dizer isto. Só tinha ido ao plaza para ficar com Jimena. Como poderia levar Elsa consigo?

Mesmo que Elsa estivesse em Los Angeles, não teria acabado naquela localização e nem era capaz de enfrentar quinze assaltantes armados. Ela não era o Detetive John.

A força de Elsa residia na investigação e não matança.

Relaxado, Luke sorriu para seu painel de atributos.

Luke (também conhecido como Luke Coulson)

Força: 31

Destreza: 20

Força Mental: 14

Ponto de Atributo Extra: 1

Luke reivindicou a recompensa da missão após lidar com Hans Gruber.

Missão: Eliminar a gangue de Hans Gruber e recuperar as ações.

Experiência Total: 5000

Crédito Total: 5000

Taxa de Contribuição: 75%

EXP +3750

Crédito +3750

Como experiência alcançou 7000 pontos, o anfitrião subiu para o nível 9.

Vendo que Força estava mais próxima de 40 pontos, Luke ficou mais que satisfeito.

Agora só faltava dois níveis do requisito mínimo para o salva-vidas supremo, Autocura Elementar, e de curar sua mão esquerda.

Só restou 400 pontos de experiência após subir de nível, porém, tinha mais de 14000 pontos de crédito.

Não conseguiu mais se conter. Abrindo a lista de habilidade, aprendeu Direção Elementar e também selecionou algumas habilidades incomuns das pessoas que matou ou derrotou.

Por exemplo, Proficiência Linguista Básica (Inglês, Espanhol e Português), da gata de pernas longas Vanessa, que só custava cem pontos de crédito.

Luke imediatamente a escolheu. Não tinha tempo para aprender outros idiomas, então esta habilidade seria muito útil.

Cem pontos de crédito não era nada para ele.

Luke também pegou Demolição Básica de um bombardeiro especialista na equipe de Hans.

Todavia, Luke sabia que ficaria com poucos créditos no futuro.

As super habilidades de gene-x não custavam menos de mil pontos de crédito. Alguns até custavam mais de dez mil.

Ele agora tinha muitos pontos de crédito por enquanto só porque não tinha se juntado oficialmente ao grande campo de batalha que Nova York ia virar.

Luke não se estabeleceria em Nova York até conseguir Autocura Elementar, ou poderia ser morto facilmente por um cara aleatório.

Quão eficiente era Takagi?

Naquele tarde, um advogado visitou Luke e o fez assinar alguns documentos. Após o advogado entregar o resto da papelada, a casa seria de Luke.

Tentada, Selina incomodou Luke para checar a casa.

Quando chegaram no destino, perceberam ser uma mansão isolada que cobria duzentos metros quadrados. Tinha cinco quartos, dois banheiros, uma garagem e uma piscina.

Os dois visitaram a casa após entrarem com a chave que Luke recebeu. Ele comentou: — Esta casa, além da mobília e decoração, deve valer mais de um milhão, certo? Não acho que o que fiz valha tanto.

Selina, por outro lado, ficou animada: — Haha, Luke, podemos nos mudar para cá? Vou nadar na piscina quando o clima ficar quente.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

5 1 voto
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
2 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Aquele acima de tudo e todos
Membro
Aquele acima de tudo e todos
5 dias atrás

Oficialmente odeio a Selina.

Aquele acima de tudo e todos
Membro
Aquele acima de tudo e todos
6 dias atrás

Perdi completamente o interesse na Selina, espero honestamente e gentilmente, que ela durma e nunca mais acorde.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar