Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 227

Há Quanto Tempo

Luke falou rapidamente: — Me apoie daqui, mas não dispare até eu dar o sinal, no caso de você se expor.

Selina examinou sua pistola e pente, antes de assentir: — Entendido.

— Preste atenção nas redondezas, ou alguém pode surgir atrás de você — Luke lembrou.

Selina revirou os olhos: — Isso não é o que quer fazer comigo todo dia?

Luke: … Sério? Bem, isso soa bem tentador.

Mas riu no segundo seguinte: — Haha! Não acho que a Srta. Jenny está aproveitando esta viagem.

Não muito longe, dois homens estavam pegando uma mulher, que estava de camisola, para fora da SUV.

Naturalmente, aquela mulher era Jenny.

Um dos dois homens estenderam a mão para puxar Jenny quando a última parecia relutante em se mover.

Tanto Selina quanto Luke puderam ver que o homem não somente a empurrou.

Srta. Jenny gritou e foi arremessada para frente antes de olhar para o homem com medo, todavia, o homem apenas assobiou.

Luke estalou os lábios e comentou: — Viu isso? Falei que eles gostam da traseira…

Mas Selina simplesmente olhou para ele com desdém. Ele então falou apressadamente: — Eu não gosto deles. Acredite.

Selina: — Homens são todos iguais.

Luke deu de ombros: — Sou um policial que está aqui para salvá-la. Lembre-se, não deixe ninguém se aproximar de você por… Uh, tudo bem. Estou indo.

Vendo o olhar nada amigável de Selina, ele deixou a piada de lado e rapidamente saiu do carro.

Ele se moveu rapidamente, mas com furtividade ao longo dos carros estacionados na beira da estrada e logo chegou no Ford SUV. Então, seguiu silenciosamente as cinco pessoas.

Nenhum deles prestou atenção em suas costas. Jenny, que estava meio pelada, estava aterrorizada e impotente.

Estava tremendo. Sua pele ardia no lugar que o homem tocou, como se fosse corroída por ácido sulfúrico.

É claro, era apenas ilusão sua e a pele estava tão bela e macia quanto antes.

Os quatro homens, por outro lado, estavam obviamente cativados demais pelo corpo sensual de Jenny para notar o estranho atrás.

Só foi quando chegaram num bangalô a dez metros de distância e um dos homens empurrou Jenny para dentro quando uma voz soou atrás deles: — Ah, Srta. Gwenis. Já faz um tempo. Não esperava vê-la aqui.

Atordoados, todos se viraram, só para ver um garoto que parecia com um estudante do ensino médio sorrindo gentilmente para eles.

Sob o sol matinal dourado, seu sorriso era tão puro quanto de um anjo.

— Porra! Garoto, você quer morrer? — um dos homens imediatamente gritou.

Jenny estava perdida e não conseguia se lembrar de Luke.

Ignorando o homem, Luke tirou a carteira.

Os quatro homens sentiram que algo estava errado. Por que esta carteira e pose pareciam familiares?

No segundo seguinte, a carteira foi aberta para revelar o distintivo dentro e Luke declarou: — LAPD. Srta. Gwenis, lembra de mim agora?

A expressão dos quatro homens mudou e Jenny ficou empolgada, embora não se lembrasse deste garoto: — Socorro! Eles me sequestraram!

Isso era exatamente o que Luke estava aguardando. Como se na hora certa, todos os quatro homens estenderam a mão para a cintura.

O sorriso ainda pairava em seu rosto, Luke avançou de repente e deu uma joelhada na virilha de uns dos sequestradores.

Houve o som de algo rompendo e os olhos do sequestrador esbugalharam. Agarrando a virilha com as mãos, caiu lentamente de joelhos.

Após aquela joelhada, Luke girou o braço direito dobrado para atingir o rosto de outro sequestrador.

Ele então atingiu o rosto do terceiro com um gancho esquerdo, antes de chutar o quarto, que também foi aquele que abriu a porta, no abdômen.

Em menos de dois segundos, os rostos de dois dos sequestradores estavam sangrando e os outros dois desabaram enquanto seguravam as partes inferiores do corpo.

Luke se adiantou e puxou Jenny para trás dele: — Não grite, não se mova e permaneça quieta. — Quando falou isso, chutou as cabeças dos dois sequestradores se agarrando no chão, nocauteando-os.

Isto, na realidade, foi um alívio para eles.

Protegendo Jenny, Luke recuou lentamente.

Alguns segundos depois, dois carecas de jaquetas elegantes saíram. Vendo os quatro homens inconscientes, um deles gritou: — Ah, há um problema! Bem aqui!… Ugh!

Dor explodiu em sua cabeça e ele desabou, a pistola que havia acabado de sacar caiu no chão.

O outro careca não foi tão rápido, e estava indo pegar a arma quando viu seu parceiro foi nocauteado.

Então, um punho surgiu diante de seus olhos.

Bam!

Sua mente apagou e girou duas vezes no ar antes de finalmente cair no chão.

Luke olhou para Selina, só para ver que ela estava gesticulando para ele.

Com o Olfato Aguçado, já havia sentido que havia muitas pessoas na casa.

Havia mais de trinta pessoas, bem como várias armas, maconha e heroína, que indicava que esta era uma grande base da WD-36.

No segundo seguinte, pegou Jenny, correu e deu o sinal para Selina. Esta também começou a se mover.

Menos de dez segundos depois, ele colocou Jenny atrás do carro: — Minha parceira Selina vai te levar para meu carro. Não grite e não corra.

Ele então correu de volta para o Ford SUV dos traficantes. Pegando a arma, ele mostrou seu distintivo: — LAPD! Vocês estão cercados! Larguem as armas e deitem no chão!

A dúzia de pessoas que acabaram de sair do bangalô ficaram atordoados ao ouvir isso.

Porém, ficaram furiosos no instante seguinte. Um homem com uma pistola os cercou? Ele era idiota?

A dúzia de gângsters, que pareciam com zebras devido ao tanto de tatuagens que tinham, tiraram suas armas.

— Vai se foder!

— Vai à merda!

— Seu filho da puta! Vou cortar suas bolas!

Por um momento, todos estavam xingando e gritando.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar