Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 302

Uma Mudança Rápida e um Pedido por Reforços

Um pouco em pânico, Samantha perguntou subconscientemente: — Qual lugar é seguro?

Luke a lembrou: — Prédios com entradas e saídas que podem ser bloqueadas facilmente. Além disso, tem que ser de concreto. Casas de madeira não impedirão as aranhas.

Samantha falou: — O quê? Deixe-me ver… certo, o shopping center! O shopping center que o prefeito construiu é muito sólido.

Luke: — Isso é bom. Além disso, podemos ter que mostrar nossos distintivos quando resgatarmos os residentes. Você não se importa, não é?

Samantha respondeu sem hesitação: — Nenhum pouco. Te dou permissão para usar armas para garantir a segurança das residências.

Luke: — Okay, permaneça em contato, e me ligue se algo der errado.” E então encerrou a ligação.

Eles saíram do fast food e foram ao carro.

Havia somente um pouco de luz no Oeste. Já estava anoitecendo na cidade.

Quando Luke estava no celular, Selina já havia retirado dois coletes à prova de balas do carro. Ela colocou um e pregou os cartuchos e outros equipamentos nele.

Após Luke encerrar a ligação, Selina jogou o outro colete.

Luke fez estes coletes. Todos os tipos de aparelhos podiam ser colocados neles e não carregavam o sinal da LAPD.

Quando Luke colocou o colete, Selina jogou uma M4A1, então pegou uma Benelli M1014 e dois pentes.

Luke pegou a M4A1 com uma mão e a mochila tática que Selina jogou logo em seguida com a outra.

Ele abriu a mochila e tirou dois cartuchos que estavam dentro. Então colocou as granadas lacrimogêneas no colete também.

Selina também se equipou quase completamente ao mesmo tempo.

Eles então tiraram os distintivos e penduraram numa corrente em volta do pescoço.

O processo todo levou menos de dois minutos.

Luke falou: — Siga-me. Cuidado com as costas e acima de você. — Ele então começou a correr.

Ele foi rápido, mas não descuidado.

Num resgate, também precisava garantir a própria segurança. Seria uma piada se entrasse em perigo.

Os outros clientes no restaurante fast food ficaram perplexos. O que estava acontecendo? Por que o casal virou dois policiais incríveis do nada?

Ninguém os confundiria com criminosos. Afinal, estavam muito familiarizados com a maneira típica que os oficiais usavam seus distintivos.

Havia somente dois xerifes na cidade, e as pessoas aqui estavam se sentindo ansiosas recentemente. Assim, não era incomum que os xerifes pedissem por ajuda.

Os clientes curiosos caminharam até as janelas e observaram os dois policiais correndo, enquanto se perguntavam o que estavam fazendo.

Luke e Selina logo chegaram numa casa a cinquenta metros de distância. Eles gritaram — Polícia! — e chutaram a porta.

Um senhor aterrorizado estava gritando por ajuda: — Socorro! Há um monstro! Um monstro enorme!

Luke simplesmente balançou a mão para o senhor recuar. Em seguida, trocou de posição e mirou na porta.

Uma aranha enorme com um corpo maior que de uma bacia e com pernas que podiam envolver o homem, apareceu.

Bang! Bang!

A cabeça da aranha explodiu e seu corpo derrubou muitas coisas quando desabou. Luke entrou rapidamente no cômodo e chutou o corpo da aranha que estava tremendo. Ele então tirou um canivete para abrir o casulo humano numa cadeira.

Dentro estava uma senhora que respirou fundo e começou a tossir.

Luke não perdeu tempo conversando e simplesmente pegou a senhora: — Você tem uma arma? Se tiver, leve consigo, e dirija até o shopping center do prefeito. Se ver alguma aranha na estrada, não pare, e só bata nelas, entendeu?

Ele estava falando com o senhor.

O senhor só assentiu atordoado. Finalmente voltou a si quando viu os dois indivíduos totalmente armados tirarem sua esposa da casa. Ele tirou uma espingarda apressadamente de um armário e várias caixas de balas, então agarrou a chave do carro de um lado da mesa e os seguiu para fora.

Luke e Selina colocaram a senhora no carro e observaram o casal ir embora no carro.

Com a audição aguçada, Luke já conseguia ouvir barulhos incomuns em várias partes da cidade.

Havia gritos de medo, sons de latidos e disparos ocasionais.

Ele estreitou os olhos e olhou para a montanha ao leste, só para ver leves pontos pretos seguindo para a cidade.

Lá era onde as minas estavam localizadas.

Luke discou outro número. Ele correu enquanto esperava a ligação ser atendida. Não demorou muito e um homem perguntou calmamente: — Detetive Luke, já faz um tempo. Há algo em que eu possa ajudar?

Luke já havia matado outra aranha gigante numa casa distante. Puxando uma mulher de meia-idade histérica e jogando-a para Selina, ele respondeu: — Olá, Capitão Wales. Estou na Cidade de Prosperity no Arizona. Acredito que seria do seu interesse o fato de que um enorme número de aranhas gigantes apareceu aqui.

O homem perguntou imediatamente: — Que aranhas gigantes?

Luke ergueu a mão e disparou quando enviou voando uma aranha que estava prestes a atacar Selina. Este caiu no chão em uma explosão de líquido nojento.

Calmo como sempre, Luke explicou: — Aquelas que matei tem trinta e cinquenta centímetros de comprimento, não incluindo suas pernas. Cada uma delas pode caçar um humano sozinha, e agora estão caçando os residentes. Enviarei fotos. Você tem que agir agora.

Bang! Bang! Bang! Bang!

Selina disparou e outra aranha gigante que saiu correndo ao lado, explodiu com um jorro daquele líquido nojento preto-esverdeado.

Wales falou: — Aguente firme. Vou enviar reforços agora mesmo. Permaneça em contato. — Ele então desligou.

Luke relaxou um pouco.

A SHIELD era mais rápida a responder a uma crise que o FBI.

As vinte aranhas que viu eram evidências o bastante para pedir por reforços.

Enquanto pensava nisto, tirou o celular falso e enviou ao Capitão Wales várias fotos de aranhas, vivas e mortas.

Então rapidamente gravou um anúncio no celular falso e tocou num loop antes de colocar no bolso do peito.

— Atenção a todos. Aranhas gigantes apareceram na cidade e estão atacando pessoas. Se sua casa for sólida e pode ser selada, por favor, fique nela e espere por ajuda. Caso contrário, por favor, saia o mais rápido possível e se dirija ao novo shopping center, onde encontrarão a Xerife Samantha. Leve armas e munição. No caminho, não parem, e não deixem nenhuma aparição repentina das aranhas na estrada impedirem vocês.

Desta maneira, ele e Selina não teriam que perder tempo repetindo as explicações quando resgatassem as pessoas.

Selina também ficou aliviada. Ela realmente não sabia como confortar aqueles residentes que estavam quase morrendo de medo.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar