Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 348

Uma Ideia e um Plano para a Faculdade

Quando saíram, Selina fez uma pergunta com o olhar.

Luke simplesmente agarrou o casaco e bolsa dela: — Vamos procurar por pistas.

Selina ficou atordoada: — Hã?

Luke deu um tapinha no caso em sua mão: — Não temos um novo caso?

Selina ficou sem palavras. Sério, vamos sair e investigar um caso que ainda não sabemos nada?

Sonia olhou para eles curiosamente quando viram que estavam prestes a sair.

Quando Luke passou pela mesa dela, olhou para a tela do computador e assentiu: — Trabalhe nisto por ora. Pode ser muito útil em alguns dias.

Sonia assentiu, mostrando que entendeu.

Luke e Selina estavam prestes a partir, quando Elizabeth tossiu e caminhou até eles.

Vendo sua expressão, Luke a cumprimentou e perguntou: — É algo importante, Elizabeth?

Elizabeth sorriu estranhamente e falou baixinho: — Acabei de receber uma ligação. Minha mãe estará aqui em um ou dois dias.

Luke não pensou demais nisto: — Sem problemas. Pagarei a estadia deles.

Elizabeth ficou sem palavras: — Não é disso que quero falar. Já encontrei um lugar para eles ficarem. É o Chris. Você não disse que precisava falar com ele no privado? Estou dizendo agora que ele está vindo, no caso de você ficar ocupado demais.

Luke bateu na testa.

Elizabeth naturalmente sabia como Luke esteve ocupado nos últimos dias.

A pausa inesperada de Roger e Martin fez as três equipes sob o comando de Elsa ficarem bastante ocupados. Até a equipe de Sonia teve que ajudar.

O lembrete de Elizabeth foi na hora.

Luke quase esqueceu da coisa com Chris.

Isso porque se Chris teve sucesso ou não, era apenas um pouco de dinheiro para Luke.

Agora que Elizabeth mencionou, todavia, Luke simplesmente a seguiu até o estacionamento.

Quando entraram no carro, Luke e Elizabeth sentaram nos fundos, enquanto Selina ficou no banco do passageiro. Luke perguntou: — Elizabeth, você tem alguma reserva pessoal que pode usar?

Elizabeth ficou surpresa, mas balançou a cabeça com um sorriso amargo: — Não tenho dinheiro. Nem paguei minhas despesas da faculdade ainda.

Luke entendeu.

Não era fácil entrar numa boa faculdade na América. As taxas de ensino podiam custar 100 mil dólares.

Elizabeth nasceu e cresceu numa cidade pequena, e sua mãe não era rica. Então, era inevitável que tivesse uma enorme dívida da faculdade.

Além disso, a maioria dos formandos ganhava muito menos que trabalhadores de colarinho azul nos primeiros anos após começar.

Este era outro abismo invisível que possibilitava as crianças dos ricos manter sua excelência e forçava as crianças dos pobres a permanecer como trabalhadores comuns.

Algumas crianças ricas poderiam ser depravadas e inúteis, e algumas crianças pobres poderiam ser extraordinariamente geniais.

Mas o dinheiro demoliu todas as chances, e uma criança rica tinha uma chance maior de fazer algo para si.

Era um dos motivos pelo qual os ricos permaneciam ricos e os pobres permaneciam pobres.

Luke pensou por um momento e falou: — Que tal isto…

Ele propôs a ideia, e Elizabeth e Selina olharam para ele atordoadas.

Um momento depois, Elizabeth não pôde deixar de perguntar: — Por que… você faria isto?

Luke tossiu e respondeu: — Porque penso bem de você. — As duas garotas deram olhares estranhos após ele dizer isso.

Vendo suas expressões, Luke levantou as mãos impotente e se desculpou: — Tá, isso pareceu um pouco errado. Para simplificar, se isto funcionar, você terá contribuído, mas como somos colegas, só posso compensar você de uma maneira rotunda.

Elizabeth balançou a cabeça de novo: — Você salvou minha família. Esse é um favor que devo devolver. Então…

Luke riu e a interrompeu: — Não. Tenho minhas próprias ideias. Você só precisa tentar ao máximo terminar isto, entendeu?

Elizabeth hesitou por um longo momento, mas eventualmente desistiu sob o olhar de Luke: — Ookay, mas não posso prometer que conseguirei.

Luke saiu do carro: — É melhor se conseguir. Confio na Samantha mais do que confio no Chris.

Elizabeth ficou surpresa: — O quê? — Como isto estava relacionado ao Chris?

Desde que Luke saiu, no entanto, era um sinal claro que a conversa acabou.

Ela só podia sair e observar Luke sentar no banco do motorista, antes de se despedir e ir embora.

Franzindo a testa, Elizabeth retornou ao escritório.

Sua mente inundada com pensamentos.

Ela repassou tudo que Luke falou do começo ao fim. Então, lembrou de algo que Luke mencionou no final: — É sobre aquela mina…

Ela gritou subconscientemente.

Como Luke falou, este era um assunto sensível, e era melhor se não contasse nada sobre isto se não fosse necessário.

Sua mente estava uma bagunça, entrou no escritório como se estivesse sonambula.

No carro, Selina olhou para Luke: — O que está pensando, exatamente?

Com os olhos na estrada, Luke falou casualmente: — A cooperação com Chris será parte dos negócios da empresa. O que acha?

Quando Selina finalmente entendeu, sua boca arregalou e apontou para si: — Você está dizendo que tenho uma parte nisto também?

Luke assentiu: — Isso mesmo. Você é a segunda maior acionista da empresa com cinco por cento das ações.

Selina disse: — … Apenas continue se gabando. Realmente não deveria ter trocado duzentos mil dólares por ações numa oficina pequena.

Após um breve silêncio, Luke expressou: — Você quer mais ações? Se não quiser mais ser uma policial, pode supervisionar a empresa.

Selina ficou confusa: — Em que maneira?

Luke respondeu: — É como uma Divisão de Assuntos Internos no departamento de polícia e investiga membros da empresa.

Selina balançou a cabeça: — Pessoas me odiarão por fazer isso. Você pode manter suas ações. Não estou interessada.

Luke cantarolou uma resposta: — Também é bom. Certo, pedi a Jenny para procurar algumas faculdades para estudar meio período… cof, qual você pode se formar facilmente. Por que não entra numa delas?

Selina fez uma careta: — Sério? Ainda tenho que treinar.

Luke riu e parou o carro lentamente, antes de sussurrar algo no ouvido de Selina.

Ela exclamou: — Você realmente pode fazer isso?

Luke assentiu: Sim, mas fica entre nós, okay? Estaremos em problemas sérios se alguém descobrir.

Selina riu e beijou a bochecha dele: — Obrigada, querido, você é realmente atencioso. Por que não conheci você na escola?

Luke revirou os olhos: — Qual é. Só entrei no ensino médio depois de você se formar, tá?

Em casa, Selina foi treinar, enquanto Luke ligou a Bobby para fazer alguns arranjos para os visitantes.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar