Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 368

Hospital, Alarme e Problema

Como um especialista em combate na selva, Luke escolheu a rota mais fácil e retornou as cabanas de madeira de Stephen em menos de dez minutos.

Naquele ponto, todos estavam encharcados.

Luke ajudou Steve a sentar no pátio e procurou pela chave da picape.

Alguns minutos depois, Luke e Annie estavam no banco da frente da picape, enquanto Steve estava deitado atrás enquanto sua namorada cuidava dele.

A picape Ford ligou e dirigiu pela montanha.

Luke não estava com pressa. Embora Steve não parecesse bem, não estava morrendo.

Por outro lado, se Luke dirigisse acidentalmente num penhasco, seriam mortos.

Graças a Direção Elementar, só levou trinta minutos na chuva pesada para retornarem ao acampamento da Escola Nº 37.

Luke estacionou o carro fora da cabine de Juliet e bateu na porta.

Juliet abriu a porta e ficou surpresa ao ver Luke todo equipado: — Qual é o problema?

Luke respondeu: — Um turista de outro acampamento está gravemente ferido e precisa de cuidados médicos urgentes. Onde fica o hospital mais próximo?

Juliet: — Sei onde fica o hospital, levarei você lá.

Luke a parou: — Juliet, você é responsável pelos alunos aqui. Além disso, não é seguro dirigir agora. Apenas me diga onde fica o hospital. Isso será o bastante.

Juliet tinha boas intenções, mas podia sofrer um acidente se dirigisse rápido demais numa noite chuvosa.

Juliet entendeu que ele tinha um ponto. Ela não estava confiante em suas habilidades de direção.

Ela apressou para encontrar um mapa no quarto e marcou o local: — Normalmente enviamos os alunos e professores que precisam de primeiros socorros a este hospital chamado Hatchmobis. Leva trinta minutos para chegar. Fique com o mapa, tenho mais cópias.

Luke agradeceu e aceitou o mapa. Examinando e tirando uma foto com seu celular falso, se virou e agradeceu: — Obrigado, Juliet. Posso não retornar esta noite.

Juliet o viu partir e gritou: — Tenha cuidado. Me ligue se algo acontecer. — Luke sinalizou “OK” com a mão e dirigiu rapidamente para fora do acampamento.

Eles chegaram em segurança.

Não houve problemas com o mapa de Juliet e o hospital foi fácil de localizar.

Quarenta minutos depois, Steve foi levado as presas para a sala de cirurgia.

Olhando para as duas mulheres molhadas e tremendo, Luke pediu a Janet: — Espere pelo Steve aqui. Vou levar a Annie para comprar algumas coisas, okay?

Janet tremeu e assentiu, seus olhos fixos nas portas da sala de cirurgia.

Sabendo que ela estava preocupada demais com seu namorado para ir em algum lugar, Luke saiu com Annie, que também estava tremendo.

Ele perguntou a uma enfermeira e encontrou um supermercado 24 horas.

Então falou para Annie escolher algumas roupas para si e Janet.

As mulheres eram melhores nesse aspecto. Luke não foi uma exceção, tirando quando se tratava de determinar medições do busto.

Por outro lado, Luke pegou algumas toalhas, água e uma mochila grande, antes de pagar por tudo.

Ele alugou um quarto num motel a cem metros do hospital e falou para Annie tomar um banho e trocar de roupa.

Luke também tirou seu equipamento. Guardou as armas, os coldres e o colete à prova de balas.

Após Annie sair num roupão, Luke também tomou um banho rápido.

Ele então sorriu para ela: — Você consegue continuar? Se puder, vamos ao hospital fazer companhia a Janet; ela pelo menos precisa trocar de roupa e seria inapropriado eu levá-la para fazer isso.

Annie achou engraçado mesmo que não tivesse recuperado do choque ainda: — Sonhe.

Ela ficou completamente encharcada durante a tempestade, e Janet não foi exceção; ela com certeza não deixaria Luke observá-la se trocar.

Refrescado, Luke e Annie retornaram ao hospital e Luke persuadiu Janet a encontrar um lugar para mudar para roupas secas.

Após as duas garotas saírem, ele tirou o celular e chamou a polícia. Na verdade, o hospital já devia ter chamado; Luke só estava fazendo outra ligação para ter certeza.

Dez minutos depois, um policial local chegou.

Luke mostrou o distintivo e contou o que sabia.

Enquanto conversavam, Annie e Janet voltaram.

Annie estava segurando um monte de sacos plásticos transparentes que continha tudo que estavam usando, tirando as roupas íntimas.

Luke entregou o saco plástico ao policial: — Aqui está a evidência.

O policial ficou atordoado por um momento, antes de sorrir estranhamente: — Bem, obrigado pela cooperação, Detetive Luke.

Luke não achou ser grande coisa: — Espero que isto possa reduzir sua carga de trabalho.

O polícia concordou.

Muitas coisas eram fáceis com a cooperação de alguém do mesmo campo.

Outro policial apareceu e os dois questionaram Annie e Janet se separaram.

Após um tempo, nenhum dos dois tinham boas expressões. O mais velho dos policiais veio e falou com Luke no privado.

Eles conversaram por um tempo, e Luke soube que este assunto era um pouco complicado.

Aquelas crianças eram de outra cidade do outro lado da montanha, que não ficava na jurisdição dos policiais.

Se quisessem prendê-las, tinham duas opções: subir a montanha agora, ou conversar com o policial da outra cidade primeiro antes de prendê-las.

Olhando para a tempestade pela janela, Luke não achou que os policiais teriam coragem para subir a montanha neste clima.

Quanto a prender os garotos da outra cidade, isso era um assunto totalmente diferente.

Luke não tinha interesse em dizer aos policiais o que fazer. Ele deixou explicito que era apenas um transeunte neste caso e que eles deveriam fazer como achassem melhor.

Ele nunca gostou de colocar o nariz nos negócios dos outros, mesmo após se tornar um policial.

Ele tinha concluído seu objetivo de salvar Annie, Steve e Janet. Considerando as feridas de Steve, se estivesse determinado a processar aquelas crianças, havia a chance alta dele os enviar ao reformatório, e falir os pais pelos danos.

Este tipo de caso que envolvia ferimento corporal grave era algo que advogados “profissionais” estariam muito interessados em pegar.

Luke naturalmente acompanharia nesse caso.

Ele não agiria sem motivo, mas quando confirmasse certas coisas, não se importaria de passar outro final de semana aqui.

Os dois policiais ficaram aliviados; pelo menos não tinham que arriscar suas vidas subindo a montanha à noite.

As identidades daquelas crianças não era um segredo. Seria impossível deles fugirem.

Os assuntos policiais na outra cidade foram confiados a LASD. Era melhor comunicar a LASD primeiro antes de tomar qualquer ação.

Duas horas depois, Steve saiu da sala de cirurgia.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar