Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 417

Matança Não Profissional

Eles rapidamente se equiparam antes de pegar um carro cada.

Luke partiu primeiro no Ford de segunda mão, e Selina seguiu Jeff e sua esposa na viatura.

— Jeff e Karen saíram — Selina relatou: — Tim e Karen estão seguindo-os.

Luke murmurou em resposta e continuou dirigindo.

Ele não estava muito à frente de Jeff.

Calculou que chegaria no velho armazém, que pertencia ao MBI, um ou dois minutos antes.

Vinte minutos depois, Luke estacionou num carro e olhou para o velho armazém a 200 metros de distância: — Uau. Este é realmente um ótimo lugar para matar alguém.

Não muito longe, a placa do MBI no portão do armazém estava desbotado e quase ilegível se não lesse com cuidado.

O armazém estava cercado por arame farpado, e as ervas daninhas proliferavam dentro.

O armazém era constituído por um círculo de velhos prédios que estavam empoeirados e claramente não estivera em uso por muito tempo.

Era só que um trailer estava estacionado num canto do armazém, e um gordinho branco estava ocupado fazendo algo.

Luke saiu e enviou um pequeno drone.

Enquanto o drone pairava acima do armazém, Luke olhou para a transmissão e acariciou o queixo: — Matar pessoas da velha maneira e sem armadilhas, este gerente de segurança vai fazer tudo sozinho?

O gerente de segurança de uma grande empresa, como informante de outra pessoa, ia matar um empregado que detectou a anormalidade num lugar remoto — era uma trama previsível.

Porém, o que havia com este gerente de segurança? Ele estava de pijamas ou pendurou a roupa para secar quando planejava matar alguém? Esta não era uma atuação boa demais?

Luke ficou completamente atordoado.

Enquanto murmurava isto, o Chevrolet azul de Jeff chegou no armazém.

Um momento depois, o sinal da viatura ficou online, o que significava que Selina também havia chegado.

Segundo seu plano, ela se esconderia um pouco longe e passaria a informação a Luke pelas câmeras. Ela também assumiria o drone e vasculharia as redondezas por alguma armadilha.

Verificando rapidamente o plano, os dois foram ao trabalho.

Enquanto Selina ficava de olho em tudo, Luke focou a atenção no terreno do velho armazém.

O lugar estava muito espaçoso.

Havia muitas áreas vazias e amplas ao redor dos antigos armazéns e perto do trailer.

Pensando por um momento, Luke tirou uma M4A1 e subiu no ponto de vantagem mais alto do lugar, que era o terraço de uma fábrica abandonada.

Escondendo na sombra e uma claraboia quebrada, instalou sem pressa uma mira na M4A1, antes de mirar no armazém distante.

Somente após fazer uma varredura nos locais onde as coisas provavelmente dariam errado, Luke perguntou: — O que Tim e a sua esposa estão fazendo?

Selina respondeu imediatamente: — Praticamente o que estamos fazendo; eles estacionaram o carro não muito longe e parecem estar esperando também.

Ouvindo isso, Luke só podia desejar silenciosamente boa sorte para Jeff e sua esposa.

Selina avisou de repente: — Dois carros estão vindo do leste… Eles estão saindo. Oito, todos armados com rifles automáticos… Eles estão se aproximando da retaguarda…

Luke respondeu: — Entendido.

 Enquanto isso, ouviu a conversa entre Jeff e Carl pelo outro fone.

— Carl, isto é… — Jeff olhou ao redor com enorme surpresa.

Roupas e lençóis estavam pendurados em algumas cordas próximas, e Carl e Jeff estavam parados próximos entre as roupas e o trailer.

Havia uma pequena mesa e algumas cadeiras.

Carl aceitou o café para viagem que Karen comprou e pediu para se sentarem.

Após se sentarem, Carl tomou um bocado do café antes de falar impotente: — Acabei de me divorciar. Minha esposa… bem, minha ex-esposa, Mary, pegou o carro, as crianças, tudo. Só fiquei com este trailer.

Jeff e Karen: — …

— Então, estou morando aqui por enquanto, é por isso que te pedi para vir aqui. Pelo menos, ninguém pode nos monitorar aqui, e o ar está limpo, certo? — Carl tentou permanecer positivo.

Jeff e Karen olhou para os armazéns ao redor que nem fantasmas morariam, e admitiu que o ar era realmente muito limpo.

Carl continuou: — Mas as notícias que me deu são muito úteis. Posso ser promovido e ter um aumento, então posso me mudar desta merda e voltar para uma casa normal. Okay. Você está pronto? Este é um documento classificado nível quatro da nossa empresa…

Olhando para Carl, Karen interferiu de repente: — Carl, por que tem um ponto vermelho na sua testa?

Atordoado, Carl tocou na testa e sorriu envergonhado: — Talvez meu sistema esteja fora de sintonia por falta de sono.

Jeff balançou a cabeça rapidamente: — Não, não. Carl, não é uma espinha, é um ponto de luz vermelho…

Bang! Bang! Bang! Todos os três ficaram surpresos pelos disparos repentinos.

Carl se levantou abruptamente e estreitou os olhos para ver um homem de preto caído a dezenas de metros ao lado de um armazém.

O casal assentiu: — Aquilo parece com uma arma.

Carl disse: — Porra, alguém deve ter descoberto que você relatou para mim. Eles estão aqui para nos matar.

Karen ficou atordoada: — Mas por que eles dispararam em nós?

Carl correu para o trailer e gritou: — Droga! Esconda-se aqui se não quiser ser morto! Como eu iria saber por que não dispararam em nós? Não sou eles!

Não muito longe, Tim e Natalie trocaram olhares consternados e perguntaram ao mesmo tempo: — Quem são aquelas pessoas?

A missão objetiva deles desta vez não estava certa ainda. Só foi dito para entrarem em contato com Jeff e sua esposa, então não tinham nenhum tipo de apoio. Então, quem disparou agora há pouco?

Analisando a área pela mira, Luke resmungou: — Jeff, Karen, vocês podem se mover mais rápido? Carl já está escondido no carro.

Felizmente, embora Carl tivesse escolhido uma área espaçosa, eles estavam sentados entre as roupas penduradas e a linha de visão foi bloqueada pelo trailer.

Os atiradores atrás do armazém não podiam atacar até se aproximarem da área entre as roupas e o trailer.

O atirador que correu era um alvo vivo para Luke, que abateu o bravo sujeito sem nenhuma hesitação.

Porém, após atirar, os atiradores ao redor do armazém também começaram a atacar.

Carl, Jeff e Karen já haviam entrado no trailer e estavam planejando sair em alta velocidade.

Considerando que Carl foi o primeiro alvo dos atiradores, este gerente de segurança claramente não era um traidor, mas o primeiro informante que precisava ser eliminado. No entanto, ainda não havia como dizer quem traiu ele.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar