Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Super Detective in the Fictional World – Capítulo 62

Gratidão de Carol, Ganhos Inesperados e Culinária

Sistema: Você recebeu a apreciação de Carol Mira. Você agora pode aprender todas as habilidades dela.

Lista de habilidades de Carol Mila: Autocura Básica (Gene-X; pré-requisito: 40 Força): 10.000 créditos.

Luke não conseguiu conter o sorriso.

Por que deixou Carol fugir ao invés de capturá-la?

Foi porque havia sido uma enorme surpresa.

Carol Mira era ninguém menos que a mulher comum que foi baleada em seu apartamento. Ele aceitou o caso naquela manhã.

Carol era apenas uma garçonete em um restaurante e não tinha histórico criminal. Foi um dos motivos pelo qual Luke a deixou ir.

Quanto ao porquê os agentes da SHIELD foram atrás dela, a resposta era óbvia.

A SHIELD pode ter notado que Carol podia voltar a vida. Os agentes estavam aqui precisamente para lidar com o problema.

Portanto, o sumiço de Carol do necrotério pode estar relacionado a SHIELD. No mínimo, deve ter sido Cheney que limpou a gravação de segurança.

Era responsabilidade da SHIELD encobrir tais incidentes sobrenaturais, para que as pessoas comuns não entrassem em pânico.

Isto poderia explicar a operação de Cheney e seus colegas.

Porém, a Autocura Básica de Carol definitivamente era uma das habilidades que Luke mais desejava.

Desde que obteve esta habilidade dela, ele estava disposto a devolver o favor mesmo que não soubesse quem era.

Além disso, Luke descobriu uma das regras do sistema.

A gratidão de Carol Mira o deixou desbloquear diretamente suas habilidades.

Luka ficou bem animado. Isto significava que os caras malvados agora não eram a única fonte de habilidade.

Ele podia adquirir habilidades dos bonzinhos enquanto ganhasse a apreciação deles primeiro.

Juntando com a especulação sobre “fortuna”, Luke teve o palpite que o requisito de aprendizado pode não ter nada a ver com roubar sorte.

 A conclusão ficou clara no caso de Carol.

Luke era um policial, não um agente falso do FBI que estava lá para pegá-la. Depois que a deixou ir, ganhou sua apreciação.

Naquele ponto, Carol tinha abaixado sua defesa subconscientemente, o que permitiu a Luke adquirir suas habilidades.

Outro exemplo foi quando Luke derrotou Robert numa aposta. Isso fez abaixar as defesas de Robert ao ponto que Luke poderia aprender as habilidades.

Contudo, Robert ficou azarado depois disso porque suas defesas haviam deteriorado.

O terceiro exemplo foi quando Luke matou os criminosos. Ele era como um caçador naquele tipo de situação, e tudo que a presa tinha se tornaria seu troféu contanto que o abatesse.

Todavia, tinha que verificar a primeira suposição.

Ainda não havia como dizer se Carol começaria a ser assombrada pela má sorte.

Após analisar a situação, Luke ponderou sobre a habilidade Autocura Básica.

Segundo o arquivo, Carol foi baleada dois dias atrás e ficou no necrotério até hoje.

Ela foi baleada duas vezes no abdômen — ou mais especificamente, no intestino e coração.

Daquele ponto de vista, a velocidade de recuperação com a habilidade Autocura Básica não era muito alta, contudo, Luke nunca deixaria uma técnica salva-vidas dessas escapar.

Entretanto, exigia… 10 mil créditos?

Comparado com Armas de Fogo Básico que custava 100 créditos e Combate Especial Básico que custava 200, Autocura Básica era escandalosamente cara.

Além disso, tinha um pré-requisito, que era 40 de Força.

Isso significava que a Autocura Básica exigia muito das habilidades do corpo.

Começando do nível seis, ele receberia quatro pontos para cada nível, e mesmo que investisse todos em força, ainda precisaria nivelar cinco vezes.

A experiência exigida para subir de nível estava ficando cada vez maior e ele não tinha certeza de quando poderia alcançar 40 pontos de força.

Luke respirou estando em pensamentos profundos. Quando Selina o chamou de repente, ele abriu os olhos.

Então viu Selina deitada no sofá em uma posição ainda mais confortável. Seu short era óbvio sob a camiseta larga, e destacava as curvas em seu corpo.

— O que teremos para o jantar? Não quero mais marmita — disse Selina.

Apreciando a sensualidade de Selina, Luke ficou de bom humor. Ele se levantou com um sorriso: — Vou cozinhar. Apenas espere.

Selina arregalou os olhos de surpresa: — Você sabe cozinhar?

A maioria dos americanos não sabia cozinhar. Ou melhor, eram preguiçosos demais para cozinhar.

O supermercado tinha todos os tipos de refeições perfeitas que só precisavam ser aquecidas no micro-ondas e então estavam prontas para serem comidas.

O apartamento deles não tinha um fogão a gás ou um exaustor na cozinha, mas havia um forno.

Luke riu: — Só espera.

Selina observou expectante Luke vasculhar na geladeira antes de ir à cozinha.

Alguns minutos depois, voltou.

Selina olhou para as mãos vazias dele e perguntou: — Cadê nossa janta?

Luke respondeu: — Ainda estou cozinhando. Você pode comer outra coisa primeiro se tá com tanta fome assim. Quer salgadinho? É sabor alho com queijo.

Selina disse com desdém: — Não, não quero sonhar com alho.

Luke deu de ombros e jogou os salgadinhos de sabor esquisito que comprou por acidente.

Quarenta minutos depois, beeps ecoaram na cozinha. Os olhos de Luke finalmente afastaram do laptop e se levantou.

Ele ficou ocupado por um tempo. Dez minutos depois, voltou: — O jantar vai estar pronto em dez minutos.

Selina se levantou e falou: — Vou dar uma olhada.

Luke riu, mas não a impediu.

Selina correu para a cozinha. Viu fragmentos de algo em uma tábua de corte, uma panela fumegante e mais nada.

Ela retornou desapontada: — O que você tá cozinhando? Não vi nada.

Luke disse: — Apenas espere.

Foi Luke que comprou a panela.

Houston tinha uma Chinatown onde vários chineses viviam, e um pouco da comida da cultura chinesa podia ser encontrada lá. A crença comum que americanos não tinham acesso à comida chinesa era mentira.

Era o oposto, Texas tinha muitos restaurantes chineses decentes cujos negócios prosperaram.

O supermercado que Luke e Selina visitaram antes, por exemplo, foi aberto por um chinês. Além da panela, Luke também comprou muitos condimentos chineses.

Alguns minutos depois, ele foi à cozinha de novo, e Selina o seguiu desta vez.

Luke tirou duas tigelas. Mexeu a comida na panela com uma concha de madeira, e provou com seus pauzinhos, só para descobrir que estava muito ameno.

Despejou um pouco de molho de soja na panela e mexeu de novo antes de provar mais uma vez.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Aquele acima de tudo e todos
Membro
Aquele acima de tudo e todos
10 dias atrás

Maluco é um partidão em, bonito, forte, esperto, sabe cozinhar, e ainda é o protagonista, se a Selina não der pra ele, outra pessoa vai, tipo, você.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar