The Book Eating Magician – Capítulo 231

Presentes do Elsid #3

A conversa terminou com a entrega dos presentes do Elsid. Uma aliança podia estar prestes a ser estabelecida, mas o Orta não tinha autoridade total de estado. Ele precisava esclarecer tudo com o Kurt III antes que mais detalhes pudessem ser discutidos.

Portanto, os magos na sala secreta decidiram voltar para seus aposentos. O Vince e o Carter seguiram seus guias, enquanto o Orta acompanhou o Theodore. Os dois estavam seguindo para um quarto privado.

Era um quarto que continha os desertores, cujas identidades apenas o Orta e o Theodore conheciam. Randolph Clovis e Rebecca Clovis, os sucessores do Mestre Clovis, que uma vez se destacou no império como uma das Sete Espadas, agora estavam escondidos neste quarto após desertarem de Andras.

Knock, knock.

Os sentidos de um mestre da espada teriam notado a aproximação do Theodore e do Orta há muito tempo, então o Theodore bateu brevemente sem qualquer preocupação. Sem surpresa, a porta se abriu assim que ele parou de bater.

– “Ah, você veio?” Randolph o cumprimentou alegremente, como de costume, mas então ficou meio constrangido quando viu o Orta atrás do Theodore. A intuição do Randolph percebeu que o Orta era forte, então ele não abandonou sua vigilância desde o primeiro encontro. Theodore estava ciente disso, então ele sentiu a tensão no ar.

Então, Randolph falou com uma expressão estranha, – “…Parece que você não veio passar o tempo, mas ainda assim, quer tomar um chá?”

Theodore sorriu ironicamente e balançou a cabeça.

– “Não, estou bem. Mestre da Torre Branca?”

– “Eu gostaria sim.”

Orta acenou com a cabeça e cruzou a entrada, enquanto o Theodore o seguia e fechava a porta. Então ele usou magia para bloquear completamente o som do quarto. Feitiços que podiam enganar os sentidos de um mestre da espada eram raros, mas um mago sempre precisava estar preparado para o pior cenário. Claro, havia alguém observando as ações do Theodore obsessivamente.

Theodore olhou para frente e a encarou.

– “Boa noite, Sr. Theodore.”

Ela tinha cabelos loiros que caíam sobre os ombros e olhos verdes que eram de uma cor diferente dos da Ellenoa. Sua pele branca mostrava que ela era de uma família nobre, mas seu corpo disciplinado mostrava que ela não cresceu como uma planta em uma estufa. Um contador de histórias a descreveria como uma “beldade em boa forma”.

Rebecca Clovis era realmente uma cavaleira.

– “…Boa noite. Como você está se sentindo?”

– “Eu estou bem. Em primeiro lugar, eu não sofri lesões muito grandes.”

Era como ela disse. Pan Helliones não infringiu nenhuma lesão na Rebecca ao prendê-la. Ele não queria machucá-la no meio de um grande campo de batalha. Por isso, as condições do Theodore estavam piores do que as dela.

– “Capitão Theodore.” A conversa entre os dois foi interrompida pelo Orta.

Ele olhou para o chá preto que o Randolph entregou a ele antes de suspirar e colocá-lo em um canto da mesa. Tinha um gosto indescritível, difícil de expressar.

Então o Orta falou tão casualmente como sempre, – “O exército de expedição, incluindo eu, voltará para casa em dois dias, pela madrugada. Os magos de guerra são o poder central de Meltor, então eles não podem ficar longe por muito tempo.”

– “Sim, estou ciente disso.”

– “A preparação do círculo mágico estará concluída até lá. O problema é que… a condição do seu corpo está pior do que eu pensava.”

As expressões dos irmãos Clovis ficaram tensas ao ouvir isso.

Simultaneamente, Orta bateu com o dedo indicador na mesa. – “Seus círculos estão sobrecarregados. É incomum para um mago do 7º Círculo, mas talvez seja recompensador no caminho para o próximo nível. Esses sintomas vão melhorar com o tempo. Mas…”

Theodore interrompeu, – “Eu não vou conseguir fazer o movimento espacial em longa distância.”

– “…Isso mesmo.” Orta confirmou com uma voz pesada sob a máscara. – “Por agora está estável, mas viagens espaciais de longa distância podem causar sérios problemas. No entanto, não podemos manter as tropas no Reino de Soldun até que você esteja curado.”

– “Eu entendo, Mestre da Torre.”

O corpo do Theodore era importante, mas os magos de guerra eram peças preciosas para a defesa de Meltor. Não era uma força que podia ser negligenciada no Reino de Soldun. Theodore estava bem ciente disso e aceitou o fato.

O julgamento do Orta estava correto, então o Theodore tinha um favor a pedir. – “Então, por favor, cuide dessas duas pessoas.”

Além do relacionamento com o Theodore, as duas pessoas eram, no final das contas, desertores vindos de um país inimigo. Algumas pessoas duvidariam de suas intenções, e outras poderiam usar os dois para se aproximar do Theodore. No entanto, se uma pessoa famosa como o Mestre da Torre Branca Orta estivesse cuidando deles, seria possível bloquear tais tentativas.

– “…Eu farei isso. Não se esqueça de que você é o responsável final por garantir a identidade deles.”

– “Claro.”

– “Hum.”

A conversa do Orta terminou naquele ponto. Ele engoliu o resto do chá e saiu do quarto com um simples adeus. Talvez fosse um tipo de consideração. Não importava o que fossem para o Theodore, Orta ainda era um estranho para os irmãos Clovis. Portanto, o conteúdo da conversa seria bastante reduzido.

Randolph olhou para o Theodore com uma expressão sutil. – “Theo, aquela pessoa é confiável?”

– “Sim…” Foi uma pergunta inesperada, mas o Theodore respondeu rapidamente.

– “…Um aliado digno?”

– “…Certamente. Ele é uma pessoa com quem você nunca deve se descuidar, e também é impossível de prevê-lo. É reconfortante tê-lo como um aliado, mas eu não conseguiria dormir à noite se ele fosse um inimigo.” Theodore disse, sorrindo amargamente.

Não tinha como evitar. Orta era um tipo de pessoa completamente diferente da Veronica e do Blundell, que exibiam abertamente suas presenças. Ele não se importava com certo e errado ao atingir seus objetivos, e usava qualquer método necessário para derrotar seu alvo, mesmo se fosse covardia. Em alguns aspectos, ele parecia mais um assassino do que um verdadeiro assassino. Por isso que o Kurt o encarregava das missões externas importantes.

Em seguida, o Theodore, o Randolph e a Rebecca conversaram casualmente. Eles conversaram sobre o que aconteceu depois da separação deles no sertão de Sipoto, sobre o reencontro com a Rebecca, sobre a limpeza dos anciões podres de sua família e assim por diante.

Enquanto o Theodore se concentrava nas histórias, ele ocasionalmente ria alto ou sorria sombriamente. Havia histórias amargas e também histórias deprimentes. Mesmo assim, eles podiam sorrir. Os locais e eventos eram diferentes, mas eles podiam se parabenizar pelo resultado.

Então a conversa entre os três terminou. Mas algo aconteceu quando o Theodore se levantou da cadeira e parou na frente da porta.

Sururung. Rebecca puxou abruptamente a espada e se aproximou dele. Theodore não sentiu nenhuma hostilidade, mas era natural ficar confuso. No entanto, não foi nada comparado ao que se seguiu.

– “Eu juro pelo nome Clovis, este corpo…”

Randolph sabia o significado da frase e seus olhos se arregalaram, enquanto o Theodore permaneceu em silêncio porque não sabia o que estava acontecendo.

Graças a isso, as palavras da Rebecca ecoaram no quarto, – “De agora em diante, este corpo servirá como uma peça de aço. Eu juro que mesmo se este corpo quebrar ou derreter, ele nunca se dobrará. Meu coração baterá ao seu comando, ou parará ao seu comando.”

– “R-Rebecca?”

– “Eu o servirei até o último pôr do sol.”

Rebecca inverteu a espada que segurava em sua mão, colocou o joelho direito no chão e se curvou profundamente.

Theodore não sabia o significado desse gesto, mas ele podia sentir o peso por trás dele. Era um pacto que um cavaleiro de Andras usava quando queria servir a um mestre pelo resto de sua vida.

– “Rebecca, filha de Clovis, cumprimenta seu mestre.”

Rebecca ergueu a espada com as duas mãos, rindo com uma expressão que o Theodore nunca viu vindo dela antes.


– “Hah…” Theodore suspirou ao cair na cama.

Deixando de lado seu cansaço físico, a promessa da Rebecca foi bem chocante. Era algo que um guerreiro só podia fazer uma vez na vida. O cavaleiro que fazia este juramento devotava sua vida e morte a seu mestre. Randolph explicou isso com um suspiro pesado.

Hah, é exatamente isso.

Randolph nem tentou persuadi-la, provavelmente porque sentiu o peso de suas palavras e sua teimosia. Se ela pretendesse retirar este juramento, ela não teria o feito em primeiro lugar.

Sua única irmã havia se tornado subordinada de seu amigo. Theodore era confiável. No entanto, como irmão da Rebecca, era natural que o Randolph se sentisse um pouco perturbado.

As palavras da Rebecca ainda permaneciam nos ouvidos do Theodore.

Eu não seguirei Meu Senhor agora. Rebecca disse. Então ela colocou as mãos no coração com o rosto cheio de alegria e continuou, Este meu corpo ainda não é capaz de ser sua espada e de protegê-lo. Eu virei encontrá-lo novamente no dia em que não for um fardo para você.

Rebecca disse que se tornaria uma mestra da espada para o Theodore e então baixou a cabeça teimosamente. Ela mostrou sua intenção de cumprir seu juramento, mesmo se ele recusasse. Theodore relutantemente aceitou sua espada e a devolveu. Como resultado, uma relação não oficial se formou entre os dois.

– “…Bem, não tem o que fazer.”

Felizmente, ele não conseguiu encontrar nenhum sentimento de afeto no rosto dela. Ele já havia recebido o cortejo da Ellenoa, então felizmente a situação não se tornou mais complicada.

No momento, as capacidades atuais do Theodore eram mais importantes do que as ações da Rebecca.

‘Vamos focar nesse ponto em vez disso.’ Afinal, o problema com a Rebecca não teria outra resposta, mesmo se ele se preocupasse com isso. ‘Vamos relembrar a luta contra o Pan Helliones.’

Era mais fácil pensar em magia do que em relacionamentos amorosos. Seu corpo esfriou assim que ele imaginou o rosto do Pan Helliones. Pan Helliones era o dono de um poder destrutivo que podia derrubar uma montanha com um ataque. Não foi a primeira vez que o Theodore confrontou um mestre da espada, mas aquela luta o fez perceber que o mundo era realmente amplo.

Além disso, o ajudou a perceber os pontos que ele precisava melhorar.

‘Eu lutei muito rudimentarmente. Se eu tivesse combinado minhas técnicas de forma eficiente, não precisaria ter usada a Abraxas.’

Não era arrogância, mas sim a verdade. Os poderes totais do Theodore já excediam os de um mestre normal. Ele tinha as chamas de Muspelheim, o sangue de um dragão do mar, a divindade do vento e a divindade da Mãe Terra. Havia também as habilidades dimensionais do Umbra e sua Harmonização Forçada. Para ele que estava se aproximando de um estado de “onipotência”, havia muitas opções.

E se ele tivesse movido o Fogo Infernal através do espaço, explorando a Saída Dimensional?

E se ele tivesse bombardeado o Pan Helliones em todas as direções com ataques de raio?

E se ele tivesse usado o poder da Mitra para amolecer o solo?

Havia algumas alternativas eficazes. No entanto, no momento da luta, ele não foi capaz de encontrar essas soluções. Por que ele não teve essas ideias durante o combate? Ele permaneceu calmo em seu próprio jeito, mas ainda não estava pensando com calma.

‘…Esse é o problema de ter muitos poderes.’

Cada uma das habilidades tinha personalidade forte, e se até mesmo uma delas atingisse o auge, se tornaria um poder absurdo.

Umbra, Muspelheim, Dragão do Mar, Mãe Terra, Deus do Vento…

Uma pessoa normalmente devotaria sua vida ao estudo de apenas um desse poderes, enquanto o Theodore estava tentando dominar todos eles. Esse método ganancioso estava errado?

– Não entenda mal. Gula atropelou a ansiedade que cresceu dentro do Theodore. – Essa diversidade é a força do Portador. No momento, não faz sentido seguir outro caminho. Você acabará alcançando o pico de todas essas habilidades ao uni-las.

‘…Acha mesmo?’

– Certamente. Você pode preencher o que está faltando. Coma tudo, não perdoe nada. Não há razão para o Portador se sentir ignorante.

De fato, esta era a observação de um grimório guloso. Theodore não pôde deixar de rir ao reconhecer que o Gula tinha razão.

Se o Theodore consolidasse seus poderes em um, ele certamente se tornaria mais forte. No entanto, ele não podia relaxar antes de concluir a consolidação. Atualmente, era difícil demonstrar o verdadeiro valor da Harmonização Forçada, que mesclava toda a magia em uma.

Ele tinha que comer até ficar completamente cheio.

Então um pensamento passou pela mente do Theodore. – “Eu me decidi.”

– O quê?

– “Eu irei para Kargas.”

Antes que o Gula pudesse perguntar o porquê, Theodore explicou, – “Eu me encontrarei com aquele senhor novamente.”

O rosto idoso de um concorrente que ele conheceu no leilão subterrâneo de Kargas surgiu em sua mente. Era o Heinrich. Ao contrário do Theodore, Heinrich vinha colecionando livros originais há décadas. O valor de sua biblioteca não podia ser calculado.

Portanto, o próximo destino do Theodore era Sipoto.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar