Participe do nosso novo grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação e veja os benefícios.

The Runesmith – Capítulo 401

Questionamentos.

“Peço desculpas por não poder visitá-lo antes, mas como você sabe, tivemos um pequeno problema.” 

“Tudo bem, aposto que você teve que lidar com a Ordem Dourada bloqueando a cidade.” 

“Exatamente.” 

Roland acenou com a cabeça para Arthur, que veio visitá-lo na clínica. Um dia se passou desde que acordou e seu corpo estava se sentindo muito melhor. A maioria dos efeitos de debuff que o afetavam haviam desaparecido e ele poderia ser liberado. No entanto, havia um pequeno problema – a Ordem Dourada dos Paladinos Solarianos. Eles ainda queriam conversar com ele e foram inflexíveis em não deixá-lo fora de seu alcance antes disso. Mesmo Arthur não poderia fazer nada a respeito, pois eles poderiam invocar as leis do Reino para substituir seu status. Talvez se o duque interviesse, seria possível, mas seu filho não tinha esse tipo de poder. 

“Até onde eles foram?” 

“Eles bloquearam a cidade e estão vasculhando todas as casas, acha que eles podem ter algum tipo de dispositivo mágico para detectar cultistas?” 

“Isso pode ser possível…” 

Roland ponderou a situação. A investigação minuciosa da igreja não foi inesperada, considerando o recente ataque à sua casa. No entanto, precisava ser cauteloso sobre a quantidade de informações que compartilhava. Seu conhecimento sobre a criação de runas divinas representava um problema, e havia também a questão de Agni. Ele tinha que assumir que a Ordem Dourada já havia conduzido pesquisas sobre ele, deixando pouco espaço para evasão. 

Se começasse a mentir e não cooperasse, havia também a possibilidade dele ser capturado e mantido como pagão. A Inquisição era famosa por torturar suspeitos, já que a magia de cura poderia facilmente curar ferimentos físicos, eles não se preocupavam em cometer erros. No entanto, as cicatrizes mentais sofridas por dias ou semanas de tal tormento eram geralmente irreversíveis. Era melhor agir com cuidado, pois mesmo a posição de Cavaleiro Comandante não o protegeria se ele fosse considerado um cultista. 

“Eles tentaram interrogar você?” 

“Ah, eles fizeram, felizmente, graças ao meu disfarce, tenho um álibi sólido, você, por outro lado…” 

“Terei que falar com eles antes de sair, provavelmente deveria acabar logo com isso…” 

Roland soltou um suspiro, recebendo um tapinha tranquilizador de Arthur. Durante todo o ataque cultista, Arthur esteve disfarçado, poupando-o do escrutínio. Infelizmente, Bernir, Elodia e todos os outros não tiveram a mesma sorte, eles teriam que suportar o interrogatório da Ordem Dourada. Eles não fizeram nada de errado, mas Roland podia prever que alguns deles revelariam informações involuntariamente. Armand era conhecido por ser falante, então detalhes sobre as runas sagradas poderiam eventualmente escapar. Além disso, havia a questão do enorme feitiço semelhante ao sol que Roland havia criado, que se espalhou quando foi detonado. 

‘Devo fingir que recebi algum tipo de bênção de Solaria? Eles provavelmente têm alguma maneira de testar as classes e bênçãos divinas, provavelmente não é a melhor ideia…’ 

A perspectiva de enfrentar a Ordem Dourada era assustadora, mas Roland percebeu que não poderia mais adiar. Ele precisava agir com cuidado e talvez reter informações não fosse a melhor abordagem nesta situação. Na realidade, ele precisava da Ordem Dourada tanto quanto eles precisavam do seu conhecimento sobre a relíquia. 

Embora fosse o seu trunfo, ele realmente queria apresentá-lo à Igreja. Qualquer um que pudesse ajudar a manter o culto sob controle era um aliado em potencial, e divulgar o conhecimento eliminaria qualquer motivo para futuras perseguições. No entanto, ainda era algo que ele poderia conseguir por um bom preço e havia algumas coisas que ele queria dessa troca. 

Enquanto se preparava para enfrentar o interrogatório, a porta da sala da clínica se abriu e um paladino de aparência severa entrou. O paladino estava vestido com uma armadura brilhante adornada com o emblema da Ordem Dourada Solariana. Seu olhar era penetrante e Roland podia sentir a aura de autoridade que emanava dele. Mesmo sem usar sua habilidade de análise, Roland estava ciente de que essa pessoa era uma detentora de classe de nível 3, provavelmente acima do nível duzentos. A sala caiu em um silêncio tenso enquanto o paladino examinava os ocupantes. 

“Cavaleiro Comandante Wayland, siga-me, precisamos discutir sobre os acontecimentos recentes, Sir Gideon e a Dama Loreenaestão esperando.” 

Seu tom era frio e direto, algo que um morador próximo percebeu e decidiu comentar. 

“Ei, isso não é maneira de falar com um Cavaleiro Comandante!” 

Não foi Arthur e nem nenhum dos soldados que Roland comandou, mas sim seu cunhado, Armand. Ele e Lobélia também acordaram e ambos ainda sofriam de alguns efeitos posteriores amaldiçoados. Eles não estavam tão feridos para começar, mas suas estatísticas não podiam ser comparadas às dele e dos mestres da guilda. 

“Ei, seu idiota, pare!” 

“Por que eu deveria? Quem esse idiota brilhante pensa que é?” 

Lobélia começou a puxá-lo para trás, enquanto Armand lançava um olhar ameaçador para o Paladino da Ordem Dourada. O homem de armadura brilhante levou a ameaça a sério e pegou a espada longa amarrada ao seu lado. Seu oponente, no entanto, ainda era um detentor de classe de nível 3 que não precisava de armas para lutar. Mesmo que Roland estivesse desarmado, ele representava uma ameaça e também estava potencialmente envolvido com o culto. 

“Você está tentando resistir à investigação da Ordem Dourada?” 

“Espere, Armand. Não vamos agravar as coisas aqui. Podemos cooperar e resolver tudo sem confrontos desnecessários, deixe isso comigo.” 

Roland interrompeu, colocando uma mão calmante no ombro de Armand. A tensão na sala diminuiu um pouco, mas o paladino permaneceu vigilante, olhando Armand e Roland com suspeita. Só depois que Armand começou a recuar ele afastou a mão daquela espada mágica. 

“Se eles tentarem alguma coisa, comece a gritar, eu te apoio, você pode contar comigo!” 

“…Isso é reconfortante, agora descanse um pouco.” 

Embora Armand estivesse estufando o peito, suas pernas pareciam um pouco bambas. Ele não seria capaz de derrotar o cavaleiro se fosse uma luta acirrada, mas o sentimento não passou despercebido. Era uma sensação estranha ter pessoas ao seu lado, para variar, e ele precisaria pensar em uma maneira de retribuir o favor mais tarde. 

“Venha comigo, Cavaleiro Comandante Wayland. Não temos tempo para atrasos desnecessários.” 

O paladino afirmou, enfatizando sua autoridade, mas também fez uma reverência cortês na direção de Arthur. O nobre não passou despercebido, mas seu status era relativamente baixo e não era algo com que esses paladinos se preocupassem muito. Finalmente, Roland seguiu o paladino para fora da sala da clínica, onde ele provavelmente não voltaria mais. 

Do lado de fora, Roland notou outros homens em armadura estacionados que não se comportavam como o Paladino. A armadura deles não era tão imaculada, mas ainda traziam o símbolo do sol. Todos eles estavam armados e olharam em sua direção no momento em que ele saiu. Roland, atualmente sem armadura e proibido de portar armas, sentiu o peso de ser tratado como prisioneiro político. No entanto, não esperava ser mantido em cativeiro por muito mais tempo. Logo eles passaram pela clínica e em direção ao prédio principal, onde outro cavaleiro superior da Ordem Dourada o esperava. 

‘Eu me pergunto onde essa mulher está… será ela quem vai me interrogar?’ 

Ele não sabia os nomes desses dois paladinos, mas eles estavam presentes quando Loreena e Gideon se aproximaram dele. Superficialmente, parecia que ela estava do lado dele e que o homem não gostava dele. No passado, ele salvou a vida da mulher, então ela lhe devia algo, mas não podia confiar muito em ninguém. Essas pessoas tinham seus próprios planos, e ele também, cabia apenas a ele garantir um acordo mais favorável antes de revelar o que sabia. Logo, ele foi levado a uma área subterrânea dentro da igreja da qual ele não tinha pleno conhecimento. Ali, diante de uma grande porta de madeira, ele avistou Loreena, que por algum motivo acenava em sua direção. 

“Não se preocupe, isso não demorará muito.” 

“É assim mesmo?” 

Loreena também estava usando sua própria armadura completa, mas havia removido o capacete. Os outros dois Paladinos se moveram para o lado enquanto ela abria a porta para revelar Gideon já esperando por eles lá dentro. A sala estava mal iluminada, com velas lançando sombras bruxuleantes nas paredes. O ar estava pesado, com um ar de autoridade e um toque de santidade. Loreena se moveu para ficar ao lado de Gideon, que usava sua habitual expressão severa. 

“Por favor, sente-se, Cavaleiro Comandante Wayland… ou devo chamá-lo de Cavaleiro Comandante Roland da Casa Arden?”

Enquanto estava sentado, ele manteve uma expressão passiva. Assim como ele presumiu que seu nome verdadeiro havia sido exposto durante o tratamento. Enquanto continuava sentado, Gideon continuou seu monólogo que claramente tentava sondar algumas respostas. 

“Você está longe de casa, Sir Roland. Você pode me dizer o que uma pessoa da região central está fazendo aqui? Em território inimigo nada menos…” 

“Vejo que você está bem informado sobre mim, mas tenho meus próprios motivos para estar aqui, não faço mais parte dessa ‘família’.” 

“É mesmo? Eles baniram você? Não houve declarações oficiais sobre tal caso.” 

Parecia que Gideon havia usado bem seu tempo, conduzindo uma pesquisa completa sobre o passado de Roland. A igreja tinha sua própria rede de informações e manter-se informada sobre os assuntos nobres era crucial. O pai de Roland, uma figura proeminente no exército do Reino e parte da facção monarquista, tornou peculiar ver um de seus filhos no sul, sob o comando da família Valeriana. 

Uma coisa que o confundiu foi a falta de mudança de seu status, sem nenhuma declaração oficial de sua morte ou desaparecimento. Gideon, graças aos recursos da igreja, teria provavelmente conseguido desenterrar tal informação. O fato de Gideon não estar pressionando a questão de ele estar morto ou desaparecido confirmou essa teoria. Talvez ele tenha sido considerado tão inconsequente que seu pai nem se sentiu inclinado a se preocupar com tal assunto. 

“Minha saída não foi algo oficial. Optei por deixar a família e seguir meu próprio caminho. Não é algo que deva preocupar a igreja ou a Ordem Dourada.” 

“… Mas é verdade, você é o tipo certo de pessoa que o culto abissal procuraria. Banido de sua casa nobre? Procurando por um propósito maior ou vingança?” 

“Você deve estar brincando, está insinuando que faço parte do culto? Por que eles tentariam me matar aqui então?” 

“Vocês tiveram uma briga?” 

“Essa é uma alegação absurda e você sabe disso.” 

Roland lutou contra a vontade de bater com o punho na mesa, esperando que ela quebrasse e mandasse lascas voando no rosto do paladino. No entanto, conseguiu evitar ficar muito emocionado, reconhecendo que Gideon provavelmente pretendia provocar tal reação. Enquanto ele permanecesse calmo e controlado, não havia nada nessas acusações que pudesse persistir. 

“Agora, Gideon, não vamos nos precipitar, Sir Way… O passado de Sir Roland realmente não importa, devemos nos concentrar no presente incidente.” 

Loreena, sentada ao lado de Gideon, finalmente decidiu falar. Mesmo que ambos estivessem posicionados à sua frente, ficou claro que Gideon era o interrogador principal. Embora parecesse que ela estava do lado dele, Roland não tinha certeza. Talvez ela estivesse apenas bancando o policial bom para o policial mau do outro homem, tentando diminuir suas defesas. Mesmo assim, não queria prolongar sua estadia neste local, então decidiu agilizar a conversa. 

“Provavelmente deveríamos, tenho certeza que você quer saber como consegui permanecer vivo contra os cultistas… duas vezes.” 

Ele se recostou na cadeira, cruzando as duas mãos enquanto examinava suas expressões faciais. Roland presumiu que Loreena havia provavelmente informado Gideon sobre seu primeiro encontro e como ela havia despertado do estado de ilusão. Ocorreu-lhe que eles provavelmente perceberam que ele estava insinuando conhecimento de como combater o feitiço. 

“É verdade, foi surpreendente naquela época, mas ainda mais agora… Encontramos partes da relíquia amaldiçoada dentro dos restos daquela criatura…” 

“Dama Loreena, por que você está divulgando tal informação?” 

“Acalme-se Gideon, este homem não é nosso inimigo, ele detém realmente a chave para um avanço!” 

“Um avanço?” 

Parecia que seu conhecido da Ordem Dourada já havia percebido quais eram os riscos aqui e que talvez manter Roland em uma sala mal iluminada não fosse a melhor ideia. 

“De fato, ele possui algum conhecimento único sobre a relíquia dos cultistas e a maneira de libertar as pessoas, não é mesmo, Sir Roland?” 

“Ele tem? Por que você não me consultou sobre isso antes, Dama Loreena?” 

“Oh, devo ter esquecido… mas tenho certeza que você está familiarizado com o recente incidente envolvendo aqueles bastardos.” 

“Sim… entendo… então foi ele?” 

Roland não disse nada, mas parecia que Loreena escondeu algumas informações de seu amigo da Ordem Dourada. Ele foi rápido em entender enquanto conectava os pontos. Seu olhar ficou muito mais intenso do que antes, mas por algum motivo, parecia que não havia tanto desdém ali. 

“Como isso é possível? Se isso for verdade, então você deve nos dizer como!” 

Anteriormente, Roland havia conseguido evitar uma explosão emocional, mas o mesmo não poderia ser dito de Gideon. Sua mão bateu na mesa de madeira, cedendo rapidamente sob a pressão e desabando. Era evidente que Gideon estava ansioso por uma resposta, mas no momento em que a mesa cedeu, ele pareceu um tanto arrependido – um forte contraste com seu comportamento anterior. Parecia possível que o valor percebido de Roland aos olhos do homem tivesse mudado e Gideon não pudesse mais continuar a intimidá-lo com perguntas. 

“Minhas desculpas, Sir Roland… mas você poderia me dizer se você é realmente capaz de neutralizar esse efeito?” 

Depois de recuperar o ímpeto, Roland decidiu jogar um osso para o paladino. Seu objetivo ainda era usar a igreja para seu próprio ganho. Assim como eles desejavam que sua tecnologia despertasse as pessoas do sono da relíquia, ele pretendia usar seus serviços para proteger sua propriedade e seus entes queridos. 

“Sim, é verdade, consegui me acordar antes que os cultistas entrassem em minha casa. Provavelmente é por isso que ainda estou falando com você, mas deixe-me explicar algumas coisas primeiro…” 

Uma grande razão pela qual essas pessoas precisavam dele era a ausência de uma relíquia funcional para exame. Roland já havia utilizado sua habilidade de depuração para obter os esquemas, implementando contramedidas depois de descobrir os meandros da relíquia. A igreja havia perdido o grande monólito durante o ataque do culto, impedindo o seu progresso. Ele teve a sorte de ser o único possuidor da tecnologia esquemática e rúnica capaz de contrariar os efeitos das ilusões e era isso que ele esperava sugerir com o seu relato dos acontecimentos. 

Quando Roland começou a explicar os detalhes de seu encontro com os cultistas e a relíquia, Gideon e Loreena ouviram atentamente. A sala mal iluminada tornou-se palco da narrativa de Roland e, a cada revelação, a tensão parecia se dissipar. Ele descreveu a mecânica da ilusão de uma maneira um tanto vaga para não revelar seus segredos muito cedo. 

Gideon, apesar de sua hostilidade inicial, começou a apreciar a gravidade do conhecimento de Roland. O avanço potencial no combate aos cultistas e na compreensão das propriedades da relíquia ofuscou quaisquer suspeitas sobre o passado de Roland. Contudo, para conquistar a igreja para o seu lado, seria necessário mais do que apenas teorias e estratégias. Normalmente, tais afirmações exigiriam provas tangíveis, mas o fato de ele estar acordado com os restos da relíquia miniaturizada foi suficiente para intrigar a Ordem Dourada e torná-los dispostos a cooperar. 

“Você tem evitado responder minhas perguntas, presumo que deseja receber algo para seu conhecimento?” 

“Fico feliz que esteja ciente, correto, tenho alguns termos que desejo que você siga antes de revelar mais detalhes. Em primeiro lugar, quero a proteção da igreja para o meu patrimônio e para as pessoas próximas a mim. Preciso de garantia de que eles não serão alvo do culto ou de qualquer outra pessoa que busque meu conhecimento.” 

Os dois cavaleiros trocaram olhares, parecia que o pedido não era totalmente inesperado e talvez até estivessem preparados para negociar. 

“Entendo… infelizmente, somos apenas simples paladinos, precisaríamos consultar alguém em uma posição superior…” 

“Oh, por que não pergunto ao avô?” 

Loreena interrompeu antes que Gideon pudesse terminar a frase. No momento em que seu avô foi mencionado, Roland notou o calmo paladino estremecer. Se ele se lembrava corretamente, o homem a quem ela se referia era um Alto Inquisidor, alguém que poderia até invocar um navio voador, como foi o caso durante o ataque do cultista. 

Embora Roland não estivesse muito interessado em envolver alguém que conhecesse seu pai e sua identidade, isso já estava aberto. No entanto, ele era um Inquisidor com poder real, as pessoas pensariam duas vezes antes de se aproximarem de uma área protegida sob seu nome e bandeira. 

“Provavelmente não serei capaz de impedi-la, Dama Loreena, mas por que não discutimos a outra questão antes de tomarmos uma decisão?” 

“Ah, aquele problema!” 

“Qual problema?” 

Roland, que pensava que estava prestes a assinar um contrato, de repente começou a ter uma má premonição. 

“A questão relativa à besta sagrada, é claro!”


Gostaria de ter sua novel favorita em PDF ou algum outro formato digital para ler offline?? ACESSE AQUI e saiba como!!

Comentários

0 0 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar