The World After the End – Capítulo 100

Catástrofe (1)

Três semanas após o fim da guerra, Jaehwan e sua Equipe de Expedição do Abismo estavam na Fábrica do Vazio, a entrada para o <Abismo>.

— É aqui.

Ele murmurou enquanto observava o prédio ao longe. Ele já conhecia o lugar pelas memórias de Mulack.

Este edifício em meio círculo era a porta final para o <Abismo>. Era o que cercava o Palácio do Homem Morto, o local do Único Rei, Catástrofe.

— Todo mundo, para!

Euren e Cayman rapidamente fizeram as forças atrás deles pararem e se alinharem. Jaehwan pensou:

“Há muitos.”

Ele havia repetido muitas vezes que nem todos teriam permissão para entrar no <Abismo> mesmo se o seguissem, mas eles ainda tinham um total de três mil soldados.

— Ainda podemos participar mesmo se formos fracos!

Era o sonho mais antigo do <Caos>. Era o sonho de todos pelo menos tentar.

“Ugh… Isso está uma bagunça. E a pessoa que PRECISA ir ainda está inconsciente.”

Ele pensou enquanto olhava para Sirwen, que estava sendo carregada nas costas de Chunghuh. Jaehwan já havia decidido levar Sirwen com ele. Não era por causa de seu caráter ou algo assim. Era só porque ela era muito útil. Afinal, era um [Pesadelo]. No entanto, ficou inconsciente enquanto fazia aquela coisa de espremer e não havia acordado ainda. Os olhos de Chunghuh encontraram os de Jaehwan.

— O que você fez com ela?

Parecia que ele estava tendo pensamentos enganosos, mas Jaehwan não tinha vontade de explicar. Euren então veio até ele e perguntou:

— Mestre, devemos ir imediatamente?

— Não sou mais seu mestre.

— Você ainda é meu Mestre, senhor.

Euren falou severamente.

Jaehwan respondeu:

— Deixe-me lembrá-lo. Não serei um guardião quando estivermos lá dentro.

— Eu sei, senhor…

— Bom.

Era frio, mas tinha que ser feito. Euren sabia disso muito bem. Jaehwan iria sair do <Caos> em breve. O <Caos> estava agora por conta própria.

Então, a porta da Fábrica do Vazio se abriu. De dentro, o rugido de monstros com chifres encheu o ar.

“Está começando.”

Dentro da fábrica, havia uma esteira rolante. Alguns monstros saíram. A maioria era de chifre único, mas havia de quatro e cinco chifres entre eles também. Todos tinham aquele fedor distinto de fábrica.

“Então, é aqui que esses monstros com chifres são criados.”

Todos os monstros com chifres no <Caos> foram criados nesta Fábrica do Vazio. Essa era a sensação que Meikal tinha quando trabalhava nos chifres. A sensação de ser “criado”.

“Era uma fábrica feita por [Mestres]”

Jaehwan lembrou-se da explicação de Chunghuh. Esta fábrica foi criada para conter os Homens Mortos dentro do Palácio dos Homens Mortos.

— Todos! Prontos para a batalha!

Com o grito de Cayman, os soldados mudaram de formação. Alguns sacaram suas armas.

— Humpf. Eu deveria trocar minha arma pelos chifres deles!

Kanghwang e os outros líderes pareciam animados. Havia muitas bestas de quatro chifres. Os chifres eram mais bem utilizados quando feitos para serem usados ​​como armas. Eles eram muito duráveis ​​e funcionavam muito bem contra Homens Mortos.

As pessoas começaram a lutar. Jaehwan e os Despertados lutaram principalmente contra os de quatro chifres. Havia de cinco também. Havia os Garnak, de cinco chifres, que Jaehwan matou pela primeira vez quando chegou ao <Caos>, mas não havia apenas um. Muitos deles apareceram. No centro havia um enorme Garnak, e havia um total de oito chifres em sua cabeça.

— Oito chifres!!

Alguém gritou. Bestas com chifres além do quinto eram muito raras e difíceis de combater. Havia um boato de que eles precisavam de pelo menos três Adaptados de sétimo estágio para lutar contra um uma besta de sete chifres.

Mas este era um de oito.

O Garnak de oito chifres olhou ao redor, verificando cada soldado um por um. Ele então encontrou Jaehwan e sua bainha.

O Garnak imediatamente rugiu e investiu contra eles.

— Mestre, vou lutar contra ele!

— Não! Deixa que eu luto!

Cayman e Carlton rapidamente bloquearam o caminho.

— Tolos, são os mais velhos primeiro!

Chunghuh também se juntou. Uma besta de oito chifres era muito valiosa. Um bom oponente para testar seu poder, mas a recompensa por derrotar uma era muito tentadora. No entanto, Jaehwan correu por entre eles.

— M-Mestre!

Jaehwan não teria se importado se não fosse por um certo motivo.

Sua espada tremia tremendamente. Quando ele brandiu sua espada contra os de cinco chifres, ela os mastigou imediatamente.

“Acho que estava obviamente com fome.”

A espada foi severamente danificada durante a luta contra Sameng Garam. Se não fosse pelo fato da Arma Espiritual se curar, seria melhor apenas substituí-la.

“Está na hora de subir de nível.”

De acordo com Meikal, as armas espirituais tinham níveis. A razão pela qual Jaehwan escolheu lutar contra a besta de oito chifres foi para ver se sua espada subiria um nível por causa disso.

Jaehwan começou a lutar contra o monstro e as pessoas ficaram atrás dele, não muito longe da cena. Era muito perigoso, mas não recuaram.

— O que vocês estão fazendo? É perigoso, seus tolos!

— Mádico, precisamos ver isso.

Yong respondeu ao grito de Chunghuh.

Chunghuh franziu a testa.

— POR QUÊ?

— Talvez nunca mais possamos vê-lo.

Todos sabiam o que ele queria dizer.

— Ah, entendo o que você quer dizer.

Jaehwan ainda não havia escolhido quem levar para o <Abismo>. Quantos seriam autorizados a segui-lo? Chunghu riu. Parecia que estava confiante de que seria escolhido para acompanhá-lo. Todos sorriram amargamente, pois não era o caso.

— Ei, por que você está com essa cara?

O médico então se voltou para Cayman, que tinha a maior confiança de toda a equipe.

— Não se preocupe. Ele vai te levar com certeza.

Cayman sorriu, mas parecia triste. Antes que Chunghuh pudesse perguntar o motivo, uma luz explodiu na frente.

O poder era fascinante de se ver. O mundo foi rasgado na frente deles, e o sopro da besta de oito chifres foi dizimado. Os de cinco chifres ao redor não conseguiram nem gritar quando foram destruídos.

A estocada mundial.

Foi o ataque que finalmente matou Sameng Garam no final.

O ataque feito pelo Despertado no estágio da Criação.

O Garnak de oito chifres estava caído no chão, choramingando. Todos os seus chifres foram consumidos pela espada de Jaehwan. Ele então se aproximou para acabar com o sofrimento do monstro. Então, ele ouviu uma voz vindo de dentro da fábrica.

[Espere. Deixe-o viver.]

Depois vieram mais vozes.

[Incrível, humano. Cheiro de General… nenhum.]

[Faz muito tempo desde que vi um ser que pode lutar contra um Garnak nesse nível.]

[Porém, ele era apenas uma criação bruta.]

Jaehwan então sentiu. Havia três deles no topo do prédio, três poderosas energias espirituais. Eles eram apenas do tamanho de humanos, mas eram bestas de chifres. Todos perceberam rapidamente.

Havia dez chifres em cada uma de suas cabeças.

— Deuses… Eles existiam.

Algumas pessoas gemeram. Jaehwan estreitou os olhos.

“Então, são eles.”

De acordo com o registro que Mulack deixou, havia um total de quatro ‘bestas humanoides com chifres’ na fábrica.

[Eles têm a energia de bestas com chifres, mas não eram. Eles eram poderosos como generais e eram tão inteligentes quanto o mais sábio dos humanos. Eram os discípulos caídos de Deus que foram convocados sob contrato com os mestres artesãos…]

Mas havia apenas três. Parecia que um não tinha saído.

— Eles finalmente chegaram, os Supervisores de Fábrica.

Disse Chunghuh.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar