The World After the End – Capítulo 34

Médico do Desespero (1)

[Aquele velhote… por causa dele, todo mundo achava que as pessoas também podiam fazer isso. O que ele disse? Que repetir o mesmo corte um trilhão de vezes o tornará realmente poderoso… Ou algo assim?]

-Imai Kazuki, Terceiro Capitão da [Ruptura].

Episódio 6. Médico do Desespero.

Quatro homens estavam sentados no escritório interno da fortaleza. O homem de meia-idade no assento mais alto era um indivíduo famoso dentro da fortaleza.

Chanceler Euren Chiver.

Ele era o responsável pela fortaleza quando o mestre estava fora. O que sentava ao lado dele não ficava para trás em atributos.

— Doutor, tem certeza que Jaehwan pode usar a “Retaliação do Homem Morto”?

— Sim.

Chunghuh respondeu, obviamente triste por ter que admitir aquilo, e o comandante Anti-defuntos concordou.

— Eu também vi, Chanceler. Com certeza foi a “Retaliação do Homem Morto”.

— Bem, para ser mais específico, não é uma [Retaliação].

Chunghuh complementou e olhou para o homem na frente. O homem era o único que não tinha relações com o Castelo de Gorgon.

“Por que estou aqui?”

Jaehwan pensou quando viu Chunghuh na sua frente.

Chunghuh, o médico do desespero.

Todos no <Caos> tinham ouvido sobre os rumores dele. O cara que pode fazer a “Retaliação do Homem Morto”. Ele era o único que podia fazer aquilo. Mas ele não era famoso só porque era um médico habilidoso.

— Ouvi dizer que ele é tão poderoso quando os líderes dos Dez-Clãs.

O médico era extremamente forte. Esse era um bom assunto para fazer fofocas.

— Fiquei sabendo que ele é um “homem forte do Abismo”.

— Também ouvi que ele é um membro da [Ruptura].

— Dizem que ele concluiu a torre do [Mestre].

Entretanto, ninguém sabia o que era verdade, pois Chunghuh nunca falava de si mesmo. Então os boatos dele ficaram menos empolgantes com o tempo.

O velho que só sabia retaliar.

O velho que amava tanto as mulheres que só atendia elas.

A palavra desespero foi dada a ele, porque ele sempre se desespera.

— O doutor está ficando desesperado!

Médicos ficaram surpresos de ver que os rumores eram verdade ao ver Chunghuh ajoelhando. O comandante se aproximou e perguntou:

— Doutor! Por que está aqui? E o Mestre?

— Essa gracinha está prestes a morrer. Quem liga para o Mestre?

— O-O quê?!

Chunghuh então olhou para Jaehwan.

— Ei! O que vai fazer? Você arruinou minha “Retaliação do Homem Morto”! E com minha espada nesse estado…

A espada dele foi esmagada. A “Retaliação do Homem Morto” só podia ser usada por uma espada feita de uma besta de quatro chifres ou mais. Foi quando os olhos de Chunghuh encontraram algo interessante.

— OH! Garoto, você tem algo bom com você! Um chifre de Garnak, hein?

A espada com o poder de um Garnak. Ele tinha visto uma espada feita de uma besta de cinco chifres, mas nunca tinha visto uma espada até com a bainha feita do chifre de um Garnak. Garnaks eram bestas cruéis e violentas que eram difíceis de se caçar. Chunghuh foi pegar a espada sem permissão e Jaehwan segurou o pulso dele para impedi-lo.

— Você, jovem, tem habilidade.

Ele sabia que o homem não era comum quando a “Retaliação Normal” dele foi bloqueada, mas parecia que o jovem era mais do que ele esperava. Foi quando Jaehwan falou inesperadamente.

— Se eu deixar você usar essa espada…

— Hein?

— Se eu deixar, consegue salvá-la?

Chunghuh piscou os olhos.

— Claro. Posso fazer isso.

Jaehwan puxou a espada e a entregou com a bainha. Chunghuh estava chocado. Ele tinha acabado de conhecer o homem e aquela pessoa simplesmente entregou a arma dele. Mas isso não era importante agora.

— É uma boa espada, mas combina com você.

Chunghuh gargalhou enquanto a espada chorava com o velho a segurando. Em seguida as pupilas dele ficaram brancas e o velho começou a mover a espada pelo ar. A área então ficou quieta.

“Então foi isso que ele fez mais cedo.”

Jaehwan examinou o mundo que ficou branco. Enquanto o velho movia sua espada, o mundo estava sendo pintado com uma luz branca. Jaehwan finalmente percebeu que isso não era só uma alucinação.

Esse era o mundo que esse velho estava vendo.

Dentro da área brilhante, estava Minora, enquanto seu contorno estava desaparecendo. O velho então olhou para Minora. Ele ficou na frente dela e segurou a espada como um pincel. Em seguida começou a pintar as linhas de volta.

Jaehwan sentiu que era uma visão estranha. Era suave, porém violento. Era tranquilo, porém apressado. Mas tudo era preciso.

O corpo de Minora foi repintado para o mundo. Jaehwan se sentiu aliviado enquanto observava o velho trabalhando. Ele pintou o nariz de Minora, os lábios, e deu mais atenção aos seios. Enquanto seu pincel se movia, o mundo em branco dançava. Era como uma música calma e reconfortante. Então a música que o velho estava criando estava chegando ao fim. Ele caiu, perdendo o controle da espada.

— Argh, não consigo mais fazer isso.

Chunghuh deitou-se de costas.

— Droga… Meu Poder Espiritual está acabando…

A pintura de Minora ainda estava instável. Mas estava perto de ser concluída.

— Se não fosse por aquele maldito Mestre…

O mundo tremeu. Jaehwan sabia que se aquela pintura não fosse terminada, essa “Retaliação do Homem Morto” não funcionaria. Jaehwan pensou.

Ele não podia fazer uma [Retaliação], mas mesmo que fosse uma cópia do que o velho fez…

Jaehwan pegou a espada de volta. Ele sentiu as pessoas ao redor dele gritando, tentando impedi-lo. Era barulhento. Jaehwan fechou os olhos. A mente dele sempre teve a [Suspeita] ativa contra o mundo, e o espírito querendo [Entender] parou. Os pensamentos dele foram libertados.

Sim, é assim que era para se sentir.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar