The World After the End – Capítulo 35

Médico do Desespero (2)

Ao abrir os olhos novamente, o mundo branco estava o esperando, apenas com Chunghuh, que estava lá em choque, e Minora, desacordada.

Jaehwan, pela primeira vez, pegou a espada para salvar alguém. O mundo branco o aceitou. Ele sentiu que poderia pintar qualquer coisa nesse mundo. Em seguida, Jaehwan começou a se mover.

Ele então se lembrou de Minora, uma assassina de mente fraca. Uma mulher teimosa que gostava de brincar. Uma mulher que sempre atraiu problemas. Uma mulher que não traiu. Uma mulher que o odiava. E…

A mulher que confiava nos humanos.

Jaehwan movia a mão sem descansar. Como se estivesse preocupado que a Minora que ele conheceu desaparecesse, ele movia e movia de novo.

Depois de algum tempo, parecia ter acabado, mas faltava alguma coisa. Foi quando Jaehwan se lembrou. Ele nunca tinha visto, mas veio a saber disso sem querer. Jaehwan então terminou colocando uma pequena pinta no seio direito de Minora. Estava completo. Jaehwan piscou e enquanto respirava…

— Ainda se lembra disso?

Minora abriu um sorriso na frente dele.

Quando Jaehwan abriu os olhos novamente, achou que ainda estava no mundo branco. Era porque todos estavam em silêncio. James estava esfregando os olhos e os médicos estavam tremendo com o aparelho de medição nas mãos. Claire estava paralisada olhando para Minora. A veia escura estava desaparecendo. Alguém gritou.

— A transformação parou!

— O nível de corrupção está caindo!

E o médico do desespero estava em choque.

— Como… Mas…

Ele havia usado a “Retaliação do Homem Morto”. Não era algo que podia ser copiado só de olhar. Não era uma habilidade. Muitos queriam aprender, mas ninguém conseguia.

— A impaciência dele desapareceu um pouco.

Chunghuh murmurou enquanto olhava para o homem. Agora parecia que algo o mudou.

“Mas isso só o faz ter 10 anos de idade agora.”

Chunghuh não parecia ter gostado muito.

— Quem é você? Como fez a “Retaliação do Homem Morto”…?

Chunghuh parou. O movimento do homem não foi a “Retaliação”.

— Não, eu deveria chamar de “Estocada do Homem Morto”. Onde aprendeu isso?

O comandante ficou então chocado ao perguntar:

— E-Espera. Ele acabou de usar a “Retaliação do Homem Morto”?

— Não quero aceitar esse fato, mas sim.

— Então…

Chunghuh franziu a testa ao ver a expressão do comandante. Ele era o mais leal ao Mestre do Castelo. Chunghuh havia vivido por mil anos. Era fácil de saber o que o jovem de 100 anos estava pensando.

— Espere, Comandante. Fique tranquilo. Ainda não sabemos nada sobre ele.

— Mas ele não acabou de dizer que conseguia fazer a “Retaliação do Homem Morto”? E você não falou que se tivesse mais um que pudesse fazê-la, poderia salvar o mestre?

— Isso é…

Chunghuh franziu a testa. Ele, de fato, disse isso. Só não percebeu que o comandante ainda lembraria.

“Como eu ia saber que haveria mais uma pessoa que poderia fazer isso?!”

O comandante disse com firmeza:

— Doutor. Não há ninguém mais valioso que o Mestre.

Chunghuh parou e suspirou. Ele então enviou um [Sussurro].

[Comandante. Sabe que eu sou um Despertado, né?]

O comandante ficou tenso. Todos conheciam o termo “Despertado”. Esses eram os que escaparam do sistema e ganharam um grande poder em troca. Até ao longo das <Grandes Terras> no geral, não havia tantos “Despertados”. Esses incluíam os poucos Monarcas das 12 regiões e seus súditos, os poucos capitães da [Ruptura] e a organização que o [Grande Irmão] considerava perigosa.

O comandante sabia que havia mais alguns Despertados além eles.

Um era o velho na sua frente.

Ele era mais fraco que os Monarcas ou os Capitães da [Ruptura], mas ainda era um Despertado. O fato de Chunghuh ficar no Castelo de Gorgon impediu outras fortalezas que estavam pensando em atacá-la.

[E se ele for um Despertado?]

Chunghuh perguntou:

[É verdade?]

[Sim. E um bem misterioso.]

O comandante sentiu o suor escorrer pelas costas. Um Despertado aparecendo na fortaleza não deveria ser encarado de forma tranquila. Eles eram poderosos o suficiente para alterar o equilíbrio de poder.

[Ele é da Ruptura?]

[Ainda não sei de nada.]

De repente, a entrada se abriu e homens com roupas verde escuras entraram. O comandante os reconheceu na hora. Era a organização abaixo do próprio Chanceler, Lua Negra. O homem na frente era o general.

“Por que estão aqui?”

Eles não tinham nada a ver com matar o Homem Morto. Eles só obedeciam às ordens diretas do Mestre da Fortaleza e do Chanceler. O general caminhou até Jaehwan e fez uma reverência.

— Sou o General da Lua Negra. Você é o mensageiro dos Pieris Verde?

Mensageiro dos Pieris Verde?

Chunghuh e o comandante olharam um para o outro.

— Por favor, siga-nos para o Castelo. A vida de nosso Mestre está em…

Foi quando o general sentiu que algo estava estranho.

— Hein? Por que está aqui, Comandante… E… D-Doutor?

Parecia que ele estava surpreso ao vê-los ali. Mas Chunghuh e o comandante não se importaram com o general. Eles estavam olhando para Jaehwan e pensando na mesma coisa.

E Chunghuh ainda estava pensando naquilo enquanto observava Jaehwan de frente.

“Quem é esse cara?” Ele pensou ao ver Jaehwan brincando com a [Pedra do Espírito Esquecido] nos dedos. O Chanceler Euren falou para ele:

— Senhor Jaehwan, preciso fazer um pedido a você.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar