The World After the End – Capítulo 91

Rei do Caos (10)

Há muito tempo, um [Pesadelo] falou aos Monarcas das <Grandes Terras>.

— Vou partir em uma expedição. Por favor, ajude-me a escalar a Árvore das Miragens.

No entanto, ele foi amplamente ignorado. O fato dele ser apenas um [Aprendiz] foi um dos motivos, mas não foi o único. Os Monarcas estavam muito ocupados lutando em uma guerra sem fim. No entanto, o [Pesadelo] não desistiu.

— Não devemos brigar entre nós. Este mundo está errado. Não se esqueça de quando você entrou nas <Grandes Terras>! Pense em quando você era fraco! Essa é nossa última chance! Temos que destruir o [Primeiro Pesadelo]!

Era risível. Um [Pesadelo] que nem viveu cinco mil anos falou de uma ‘última chance’? Um [Pesadelo] que não experimentou o <Sistema de Interface> por mais de cinco mil anos?

Os Monarcas não eram tolos. No entanto, estavam muito ocupados se preparando para a guerra no futuro. Árvore das Miragens? [Primeiro Pesadelo]? Um Deus que fez este mundo? Eram tudo menos rumores. Os Monarcas eram muito velhos e cautelosos demais para acreditar nisso.

Mas o [Pesadelo] não desistiu.

Ele até visitou a nona região, o Monarca das Trevas Gerome. Em vez disso, Gerome enviou Sameng Garam para cumprimentá-lo. No entanto, foi um erro de sua parte. Sameng Garam era um seguidor do Sistema, mas era puro. Ele ouviu atentamente o aviso do [Pesadelo] e disse:

— As <Grandes Terras> são um lugar para os fortes. Você que sonha, mostre-me o seu valor.

Eles lutaram por três dias inteiros. Sameng Garam perdeu várias e várias vezes. No terceiro dia, o [Pesadelo] falou.

— É uma pena que você seja um ‘Adaptado’.

Sameng Garam aceitou a força do [Pesadelo]. Ele nem sequer usou magia para lutar. Achou que este [Pesadelo] tinha o direito de mencionar a <Árvore das Miragens>. Ele então retornou ao Monarca das Trevas para relatar o que havia acontecido. O [Pesadelo] tinha razão. O [Cultivo] estava no limite e as <Grandes Terras> estavam desmoronando.

No entanto, depois de ouvir o relatório de Sameng Garam, o Monarca das Trevas concluiu.

— Sameng Garam será punido com cem anos de sono.

Ele foi enviado para recusar a oferta, mas voltou persuadido. E quando Sameng Garam voltou de seu sono, ele ouviu um boato.

[Pesadelo] Mulack.

Aquele que foi evitado por todos nas <Grandes Terras> e entrou no <Caos> para formar uma [Equipe de Expedição do Abismo]. Aquele que viajou para o <Abismo> para mudar o mundo e falhou.

Depois que os [Frutos] foram levados pelos Monarcas, ele nunca mais ouviu nada sobre aquele [Pesadelo] novamente. Mesmo assim, ele pensava no [Pesadelo] de vez em quando. O que teria acontecido se ele tivesse o seguido? Ou se algum dos Monarcas o tivesse ajudado?

O mundo teria mudado?

Sameng Garam até viajou secretamente para o <Abismo> em busca do [Pesadelo] desaparecido. Mas voltou sem nada. O <Abismo> era vasto e havia seres mais poderosos que ele. Aquele lugar era, de fato, um lugar onde até mesmo os Monarcas tiveram que desistir.

Ele decidiu esquecer o [Pesadelo]. Por sua vez, seguiu o sistema mais de perto. Se mudar o mundo fora do sistema não era possível, e se ele tentasse de dentro? Por isso tentou.

E sem perceber, ele já havia se tornado um Guardião do Sistema.

E agora, depois de novecentos anos, um homem com o mesmo sonho que aquele [Pesadelo] estava na frente dele. Enquanto olhava para o homem, Sameng Garam esqueceu todas as suas ordens.

Foi-lhe dito para capturar este homem vivo e matar todos os outros.

Mas ele não conseguia mais pensar nisso.

— Yehwan.

Sameng Garam, no entanto, não pôde aceitar o homem. Ele era agora o guardião do sistema, era o próprio sistema, então não podia deixar Jaehwan destruir tudo.

— Você nunca vai salvar ninguém com esse mundo!

E a verdadeira luta deles começou a se desenrolar.

Uma espada contra um punho. Era uma luta para cada um para salvar seu próprio mundo. Dois poderes se chocaram, o suficiente para destruir todo o lugar. Estavam em pé de igualdade um com o outro.

Sameng Garam gritou:

— BOM!

Ele sentiu como se tivesse sido enviado mil anos de volta ao passado, de volta ao tempo em que lutou contra o [Pesadelo].

Jaehwan também mergulhou fundo na luta. Ambos esqueceram o mundo. Tudo o que estavam focando era no oponente na frente.

Então, os punhos de Sameng Garam explodiram em chama escura, preparando seu golpe final. Quando seus dois punhos bateram contra o mundo, o Mundo do Sistema vomitou algo de dentro.

Guardião das Trevas.

Um ser foi convocado. Tinha a forma de um anjo, mas empunhava uma lança escura. O Anjo das Trevas então golpeou Jaehwan. O ataque foi a personificação dos milhares de anos de Sameng Garam.

Jaehwan preparou suas espadas. O poder delas surgiu de ambas as mãos. Então, a energia escura irrompeu dele, como uma chama rasgando o céu.

Um ataque que destruiu tudo o que existia.

O céu ficou escuro e algo caiu dele.

Era um céu escuro. O mundo estava cheio de larvas e nenhum outro ser vivo. No topo da [Árvore das Miragens] havia um olho, e Jaehwan o chamou de ‘Olho de Asura’. Era aquele que controlava e governava este mundo. Sameng Garam observou de onde ele havia pousado depois de cair e falou.

— Então, é para lá que você está indo.

— É meu inimigo.

— Entendo.

Os ombros de Sameng Garam começaram a tremer. Estava no topo da [Árvore das Miragens] e no final do <Abismo>, o lugar onde se sabia que o [Primeiro Pesadelo] estava localizado.

— É terrível… Essa é a verdade?

Sameng Garam parecia estar descrente que o mundo que ele acreditava estava nesse estado na realidade.

— Seu mundo não será popular no <Abismo>. Essa é uma verdade brutal demais para se conhecer, em substituição à perda de esperança.

— …

— Ninguém vai querer ver isso e viver. Cadáveres e o Olho.

Como se soubesse como era o <Abismo>, Sameng Garam continuou:

— Mas… Mesmo assim, se houver pessoas que confiam em seu mundo… Elas podem encontrar a salvação ‘verdadeira’ de dentro.

Jaehwan riu.

— Você parece um poeta. Todos os comandantes são como você?

— Vamos acabar com isso.

Jaehwan ergueu sua espada. E quando ele estava prestes a brandi-la, Sameng Garam falou novamente.

— Corte minha conexão.

Jaehwan parou. Sameng Garam sabia que Jaehwan não tinha intenção de cortar sua conexão. Jaehwan estava tentando deixá-lo viver sem perceber. Não era algo que normalmente faria.

— Você fez um novo mundo. Deve estar pronto para qualquer coisa.

Sameng Garam sorriu. Jaehwan perguntou:

— Alguma última palavra?

— Se você chegar no <Abismo>, encontre Myad. Diga a ele que te enviei e ele vai te ajudar.

— Quem é ele?

— Myad Van Decklan. Você vai encontrá-lo facilmente.

Jaehwan assentiu. Então, ele rapidamente cortou a conexão e no momento seguinte, penetrou o coração de Sameng Garam.

Ele se virou. Chunghuh, Cayman e Sirwen correram até ele. O mundo voltou ao normal, e através das ruínas do Palácio, eles puderam ver o céu do <Caos>.

Eles haviam vencido. Após o fracasso da equipe de expedição do Abismo anterior, novecentos e dezessete anos e duzentos e quarenta e quatro dias atrás—

O <Caos> agora estava livre do Palácio da Reencarnação.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar