Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx
Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Shadow Slave – Capítulo  1062

Pescaria Encerrada

Traduzido usando o ChatGPT



Sunny não estava muito preocupado em conseguir chegar à Antártica Oriental. A menos que algo verdadeiramente assustador surgisse das profundezas do oceano para devorá-los, ele tinha certeza de sua capacidade de matar ou escapar.

No entanto, ele estava preocupado com Jet.

Uma semana atrás, ela estava fraca… mas não tão fraca como agora. Seu estado mental também estava piorando. Ele sabia que Ceifadora de Almas estava intencionalmente privando seu corpo de essência para conservar o máximo possível, mas mesmo assim…

Sunny não sabia quanto tempo ela aguentaria. Agora, ela nem podia se dar ao luxo de invocar uma Memória… cada gota de essência contava, e havia muito pouco dela em seu núcleo de alma destroçado.

O que apresentava um problema.

Santa era capaz de matar a maioria das Criaturas dos Pesadelos que os atacavam com seu arco, e Sunny não ficava muito atrás em termos de letalidade. No entanto, Jet não estava em condições de matar nada.

Mas apesar disso…

Enquanto considerava suas opções, o cadáver se mexeu, começando a rastejar laboriosamente em sua direção novamente, luzes dementes queimando em seus olhos azuis vidrados.

“Venha aqui… venha aqui…”

Sunny olhou para ela com desgosto, então balançou a cabeça e se levantou. Seu sentido de sombra se espalhou, abrangendo o máximo possível do mundo que ele podia perceber.

Ele permaneceu imóvel por um tempo, permitindo que o cadáver se aproximasse perigosamente. Os olhos vazios de Jet brilharam.

“Te peguei!”

Antes que ela pudesse agarrar sua canela, no entanto, Sunny suspirou… e mergulhou da borda da jangada, desaparecendo sob a água fria. O Crepúsculo Sem Graça se dissipou em fios dançantes de seda negra.

Jet pareceu surpresa com seu desaparecimento. Ela arranhou inutilmente a superfície da jangada algumas vezes, depois ficou quieta.

“…Ele se foi.”

Um suspiro rouco escapou de seus lábios azulados. Ela não inspirou depois disso. Nesse ponto, até mesmo respirar era um esforço. Na verdade, ela nem precisava mais.

O cadáver permaneceu imóvel por muito tempo. Eventualmente, um pássaro preto pousou na jangada, pulou até o cadáver e o encarou curiosamente. Alguns momentos depois, o corvo tentou bicar um dos olhos vidrados.

Jet piscou.

“Pare com isso, Crow Crow, ou vou fazer você virar sopa.”

O pássaro pulou apressadamente para longe, aparentemente nervoso.

Sopa! Sopa!”

Sua voz soou indignada. Ceifadora de Almas olhou para o pássaro em silêncio, depois sussurrou:

“Você encontrou terra?”

O corvo abriu as asas e as agitou algumas vezes.

“Terra! Terra!”

O cadáver tentou sorrir, o que parecia bastante perturbador. Até mesmo Santa lhe lançou um olhar indiferente.

“Quão longe está?”

O pássaro arrumou as penas e deu mais um pulo para trás.

“Longe! Longe!”

Jet rangeu os dentes.

“Eu sei que é longe, seu pássaro estúpido! Quão longe?!”

O Eco simplesmente a encarou confuso. Depois de alguns segundos, ele grasnou orgulhosamente:

“Quão! Quão!”

Ceifadora de Almas sibilou, depois bateu a cabeça contra a superfície de liga da jangada algumas vezes.

“Maldição!”

Depois desse pequeno surto, ela não disse mais nada, permanecendo quieta e imóvel.

A jangada balançava suavemente nas ondas. Abaixo da jangada, centenas de pequenos pés metálicos remavam furiosamente a água fria. Em cima dela, uma estátua viva, um cadáver falante e um pequeno pássaro preto esperavam silenciosamente.

…Algum tempo depois, a água atrás da jangada ferveu de repente, e um jovem de cabelos negros sedosos e pele alabastro emergiu dela, arrastando algo em um estrangulamento. Uma criatura aterrorizante com tentáculos longos que eram tão largos quanto a coxa de um homem lutava freneticamente, tentando se libertar. Sua carne esponjosa estava inundada de sangue negro como tinta.

Pare de lutar, seu bastardo!”

Sunny rangeu os dentes e ignorou um tentáculo que estava enrolado em seu pescoço, exercendo pressão suficiente para esmagar um veículo blindado. Usando uma mão, ele nadou em direção à jangada, subiu a bordo e arrastou a Criatura do Pesadelo com ele.

Santa se moveu silenciosamente para o lado oposto do Baú, para que o peso da abominação não o fizesse virar. O corvo voou e pousou em seu ombro, encarando a criatura monstruosa com apreensão.

Sunny pressionou a abominação para baixo e ordenou:

“Fique quieto!”

Ele estava bastante irritado.

Sim, ele e Santa eram suficientes para matar a maioria das Criaturas dos Pesadelos que os atacassem, seja debaixo d’água ou do céu. No entanto, capturar uma viva… isso era um nível completamente diferente de problema!

“Jet, venha aqui!”

Ceifadora de Almas lentamente juntou os membros e, em seguida, tentou se levantar com lentidão. Depois de algumas tentativas, ela conseguiu e ficou ali por um momento, balançando. Sunny convocou a Visão Cruel e a jogou para ela, usando o joelho para pressionar a abominação na liga. Ceifadora de Almas pegou a lança e usou seu cabo para ajudá-la a se manter de pé.

Ele segurou a Criatura do Pesadelo e amaldiçoou.

“Se apresse, droga… essa coisa… é realmente forte!”

Sem mencionar que ela tinha mais membros do que ele. Imobilizá-la era uma tarefa miserável.

Jet se aproximou, girou a lança sombria e a cravou no centro da massa de tentáculos dançantes com fúria, usando todo o peso de seu corpo para dar ao golpe alguma força. A lâmina prateada perfurou a carne da abominação e desapareceu dentro dela, fazendo um rio de sangue negro fluir sobre a superfície de liga da jangada.

O cadáver da Ceifadora de Almas perdeu o equilíbrio e caiu de bruços na poça de sangue. Ela permaneceu deitada lá, sem prestar atenção aos tentáculos convulsionantes. Lentamente, um sorriso sinistro de satisfação apareceu no rosto ensanguentado do corpo morto.

“Ah… isso é melhor…”

Sunny soltou a criatura morta e a enviou de volta para a água com um chute furioso. Santa voltou para o meio da jangada, equilibrando-a com seu peso prodigioso. O corvo deslizou de seu ombro e pousou na beira da poça de sangue negro.

Ele a encarou por um momento e depois grasnou animado:

“…Sopa! Sopa!”


Comentários

5 4 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
4 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Beiceta
Membro
Beiceta
13 dias atrás

Manual do Tio Beiceta de como enfrentar criaturas do Pesadelo

Capítulo de hoje: Polvão

Contras: muitos membros para inutilizar

Pros: não sabe jiu-jitsu

Cavalo
Membro
Cavalo
21 dias atrás

Já perceberam q o Sunny aguenta golpes de criaturas q esmagam a prr de carro blindados? E corta criaturas ou até msm destrói no sco q aguentam bombas nucleares? Sendo um simples mestre?

Gabx
Membro
Gabx
29 dias atrás

todos morreram….

Beiceta
Membro
Beiceta
13 dias atrás
Resposta para  Gabx

Pois é…

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar