Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  124

Desolação

Traduzido usando o ChatGPT



Em breve, estavam parados sob as impenetráveis muralhas de pedra da misteriosa cidade. Atrás deles, o grande abismo do vasto cráter se estendia até o horizonte.

Em algum lugar à frente, a solitária cidadela humana nesta detestável região do Reino dos Sonhos os aguardava. Prometia libertá-los deste lugar sombrio e levá-los para casa.

Sunny realmente não via a hora de finalmente acabar com este pesadelo.

A muralha da cidade foi construída com imensas lajes de granito cinza. Ainda molhadas pelo toque frio do mar amaldiçoado, as antigas pedras desgastadas pareciam quase pretas. Apesar dos milhares de anos que se passaram desde que os misteriosos construtores do muro desapareceram no nevoeiro do tempo, ainda parecia monumental e inatacável.

As juntas entre as lajes de granito eram pouco largas o suficiente para inserir uma lâmina estreita.

Olhando para cima, Sunny tentou adivinhar a altura do muro. Tinha que ter pelo menos sessenta metros de altura – duas vezes mais alto que a barreira de defesa da Academia Desperta, que foi construída com a ajuda de tecnologia moderna e várias Habilidades de Aspecto.

Por alguns momentos, ele se perguntou sobre as pessoas que haviam erguido este muro, a cidade por trás dele e as gigantescas estátuas que ainda permaneciam solitárias nas desoladas margens desta terra amaldiçoada. Suas criações resistiram ao ataque da escuridão e do tempo, mas os criadores se foram. Quem teriam sido? Que destino terrível teria acontecido aos cidadãos da cidade arruinada?

Mas então, Sunny balançou a cabeça com raiva. Esses mistérios não tinham mais nada a ver com ele. Ele estava indo para casa, nunca mais para retornar a este terrível poço de horror e desespero. Que outra pessoa os resolva.

Após um breve descanso, decidiram que seria mais fácil escalar o muro em vez de contorná-lo em busca de uma entrada. Mesmo que encontrassem um portão, não havia garantia de que estaria aberto.

Escalar o granito molhado não era uma tarefa fácil, mas de alguma forma conseguiram. Quando não havia nada para usar como apoio, Sunny e Nephis recorreram às suas espadas, inserindo-as nas juntas entre as lajes. Alguns cortes desagradáveis depois, encontraram o ritmo certo e progrediram rapidamente.

Aprimorados pelos fragmentos de alma consumidos e pelos fragmentos de sombra, bem como pelo implacável regime de treinamento da batalha interminável pela sobrevivência, seus corpos estavam cheios de força e resistência. Ambos estavam no auge da capacidade física humana. Em pouco tempo, alcançaram o topo da enorme muralha e escalaram sua borda.

Sem sequer precisar recuperar o fôlego, Sunny rastejou vorazmente para a frente, pulou em seus pés e olhou para baixo.

No silêncio que se seguiu, ele pôde ouvir o som da corda dourada raspando contra a pedra. No entanto, seu coração batia mais forte.

Logo, Nephis e Cassie se juntaram a ele.

A garota cega segurou seu ombro e perguntou, com a voz brilhante e cheia de esperança:

“Sunny? O que você vê?”

Ele lambeu os lábios.

Abaixo deles, uma extensa cidade estava em ruínas. Os belos edifícios de pedra estavam quebrados e estilhaçados, muitos deles reduzidos a simples pilhas de escombros. Não havia pessoas caminhando pelas largas ruas, nenhum clamor de vozes para afastar o silêncio. Sob o céu cinza frio, a cidade arruinada parecia morta e triste.

Era impossível dizer que terrível desastre havia acontecido aqui, mas era evidente que não era natural. Muitas das casas desabadas estavam queimadas pelo fogo, com marcas de garras cortadas nos fragmentos ainda de pé das paredes. Aqui e ali, ossos monstruosos de horrores antigos projetavam-se do chão, contando histórias de batalhas desesperadas que devem ter ocorrido nessas ruas, há muito tempo atrás.

Olhando mais de perto, Sunny sentiu um suor frio escorrer pelas suas costas. Havia formas estranhas se movendo pelos escombros e ainda mais escondidas nas sombras. Vê-las o encheu de um gelado senso de pavor.

A cidade arruinada estava repleta de Criaturas do Pesadelo.

“Há… uma vasta cidade em ruínas, construída de pedra desgastada. E há inúmeros monstros perambulando pelas suas ruas. Exatamente como você disse que haveria.”

A alta muralha da cidade em que estavam era tão larga quanto uma estrada. Estendia-se infinitamente em ambas as direções, cercando as vastas ruínas em um círculo estranhamente perfeito. De vez em quando, havia torres construídas em seu corpo impenetrável de granito, servindo como bastiões contra possíveis inimigos.

Quem diria que um dia esta grande barreira serviria não para repelir os horríveis monstros, mas para manter os verdadeiros horrores aprisionados dentro?

Mas Sunny não estava tão interessado na muralha. Ele nem estava tão interessado nos monstros. Em vez disso, seus olhos foram atraídos para a colina alta que se erguia acima das ruínas. Naquela colina…

“Há um magnífico castelo erguido em uma colina no meio das ruínas. Parece… como algo saído de uma lenda. Suas muralhas são construídas de pedra branca radiante, com torres altas e majestosas agulhas perfurando o céu. Ele se eleva acima da cidade como um… um símbolo de esperança, a única coisa neste inferno que parece não ser tocada pela escuridão e… e…”

Um largo sorriso apareceu no rosto de Cassie.

“Sim! Este é o castelo que eu vi!”

No entanto, Sunny não a ouviu. Logo que ele estava descrevendo o esplendor do luminoso castelo para a garota cega, seu olhar deslizou acidentalmente para trás dele.

Agora, tudo o que ele podia ver era a silhueta escura de uma torre ciclópica que pairava sobre o mundo como uma lança profana feita de sangue solidificado. Assim que Sunny a viu, seu coração foi tomado por um medo inexplicável.

Esta era a Pináculo Carmesim.

A sensação de horror que emanava era suficiente para fazer com que ele nunca mais desejasse olhar para ela novamente. E ainda assim, ele não conseguia desviar o olhar.

Ao seu lado, Nephis também estava olhando para ela, seus pensamentos um mistério. Havia uma expressão tensa e sombria em seu rosto. Depois de alguns segundos, Estrela da Mudança finalmente conseguiu se recompor e se afastar.

Olhando na direção do castelo, ela franziu a testa e disse:

“O trecho final do caminho até a cidadela pode ser extremamente perigoso. Não devemos nos apressar. Vamos encontrar um jeito de descer primeiro…”


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

4.9 17 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Samira Vitória
Membro
Samira Vitória
1 mês atrás

Minha teoria é que o lugar onde as cabeças decepadas estão é onde fica o portal pra sair do Pesadelo, Sunny descobrindo a história do lugar vai descobrir onde isso fica e quebrar o selo

GreyD
Membro
Grey
1 mês atrás

Quando eles chegam a esperança acaba kkkkkk

Nonno
Membro
Nonno
8 meses atrás

obg pelo cap

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar