Switch Mode
Participe do nosso grupo no Telegram https://t.me/+hWBjSu3JuOE2NDQx

Shadow Slave – Capítulo  62

Esconde-Esconde

Traduzido usando o ChatGPT



Assim que deixaram os confins familiares do labirinto e adentraram a vastidão do deserto cinzento, Sunny sentiu-se estranhamente desconfortável. Era como se ele tivesse se tornado agorafóbico sem perceber enquanto viajava pelo complicado caos do labirinto carmesim.

Ele se acostumou a estar rodeado por altas paredes de coral, com inúmeros caminhos emaranhados se estendendo em todas as direções, tanto quanto podia ver. Apesar de o labirinto esconder inúmeros perigos, também oferecia um estranho tipo de segurança.

Pelo menos no caso de Sunny, que tinha a vantagem de poder ver além de suas curvas e reviravoltas graças ao seu furtivo Batedor Sombrio.

Agora, com areia cinza abaixo e nada para interromper a linha de visão, ele havia perdido essa vantagem. A ideia de não poder se esconder do inimigo o fazia se sentir nu.

‘Mantenha a calma. Não há ninguém aqui.’

Esse pensamento, que deveria acalmá-lo, teve o efeito oposto. De fato, não havia Criaturas do Pesadelo em lugar algum no deserto desolado… mas por que isso?

O que os fazia evitar tanto esse lugar?

Nephis caminhava à frente do grupo, com Sunny logo atrás dela. O Eco estava na retaguarda, movendo-se lentamente. Ele olhou em volta e, após hesitar um pouco, disse em voz baixa:

“Não gosto disso.”

Nephis lançou-lhe um olhar com sua expressão indiferente de sempre. Virando-se, ela simplesmente disse:

“Fique alerta.”

Eles continuaram em silêncio, com a areia chiando sob seus pés. Cerca de uma dúzia de minutos depois, Estrela da Mudança levantou a mão, sinalizando para eles pararem. Virando-se para Sunny, ela perguntou:

“Seu Batedor Sombrio notou alguma coisa?”

Ele balançou a cabeça.

“Não. Há algumas irregularidades aqui e ali, como pequenas colinas ou buracos rasos, mas nada está se movendo. Principalmente, tudo parece plano e sem vida.”

Ele se virou para Cassie e perguntou hesitante:

“Você ouve alguma coisa?”

Em alguns casos, sua audição aguçada era mais eficaz do que o sentido de sombra dele. Quando foram pegos pela tempestade, Cassie conseguiu perceber que algo estava errado muito antes de seus companheiros que enxergavam notarem qualquer coisa.

No entanto, desta vez não foi útil. Ela simplesmente balançou a cabeça, indicando que não havia sons incomuns ao redor deles.

Nephis suspirou e baixou a cabeça, pensativa. Então lançou um olhar ao distante Túmulo Cinzento.

“Vamos continuar.”

No entanto, ela mudou levemente a direção do grupo, visando se aproximar de uma das colinas que Sunny havia notado.

Quando se aproximaram, já era meio-dia. O sol estava bem acima de suas cabeças, tornando suas sombras pequenas e sem forma. A própria sombra de Sunny havia retornado e agora se escondia debaixo de seus pés, parecendo uma mancha informe de escuridão.

Essa hora do dia era a menos favorita.

Nephis invocou sua espada e se aproximou lentamente da colina, tentando determinar sua natureza. Não havia nada de notável nela, exceto pelo fato de que tudo ao redor era plano, e ela não era. A colina tinha aproximadamente a altura de Sunny, um pouco alongada e coberta pela mesma areia cinza do resto do deserto.

Não parecia perigosa, mas não havia mal em verificar… bem, na maioria das vezes. Talvez pudesse fornecer informações úteis.

Justo quando Estrela da Mudança estava prestes a estender a mão e tocar a superfície da colina, a sombra de Sunny de repente notou algo se movendo à distância, de volta às bordas do labirinto de onde vieram.

Agindo por instinto, Sunny pulou em direção ao Eco e sibilou para Nephis:

“Esconda-se!”

Ao mesmo tempo, ele dispensou o enorme carniceiro. De repente perdendo sua montaria, Cassie jogou as mãos para cima e caiu. Pegando-a no colo como uma princesa, Sunny correu em direção à colina e se abaixou, colocando a garota cega entre ele e Nephis agachada.

Estrela da Mudança colocou uma mão no ombro de Cassie e olhou para ele com uma pergunta silenciosa em seus olhos.

“Perigo?”

Sunny levantou uma mão com a palma aberta, dizendo-lhe para esperar. Sua sombra já espiava por trás da colina, observando cuidadosamente a fonte do movimento.

Já a certa distância, as paredes mortas do labirinto se erguiam da areia cinza. De repente, uma delas desabou, derrubada por uma figura massiva. Rodeada por uma nuvem de areia cinzenta, a figura avançou, pisando na superfície plana do deserto.

Oito pernas, duas terríveis foices ósseas, carapaça preta e carmesim que parecia uma armadura antiga salpicada de sangue… outro centurião.

Sunny praguejou silenciosamente.

Eles haviam lutado contra esses monstros duas vezes antes e venceram em ambas. No entanto, isso ocorreu porque cada campo de batalha fora cuidadosamente preparado para acumular vantagens a seu favor, com muito planejamento e trapaças ardilosas de sua parte.

Ele não tinha certeza se conseguiriam matar um em confronto direto, pelo menos não sem sofrer danos graves.

Virando-se para Nephis, Sunny sussurrou:

“Um centurião carapaça acabou de sair do labirinto.”

Ela franziu a testa. Enquanto isso, Cassie tocou levemente a mão dele e perguntou:

“Para onde está indo?”

Sunny piscou e então se concentrou na visão da sombra. Logo depois, ele exalou aliviado.

“Parece que está indo em direção ao Túmulo Cinzento. Se ficarmos escondidos atrás desta colina e ele não mudar de rumo, há uma grande chance de que não nos perceba.”

Estrela da Mudança pensou por um segundo e então concordou.

“Fique de olho nele e me avise assim que algo mudar.”

Tentando ficar o menor e mais silencioso possível, os três se pressionaram contra a colina. Não havia muito espaço para se esconder, então eles tinham que suportar o aperto uns contra os outros.

Bem… talvez “suportar” não fosse a palavra certa. Sunny talvez até tivesse gostado da situação em outras circunstâncias…

‘No que você está pensando, idiota?! Concentre-se no monstro mortal!’ ele pensou irritado, repreendendo-se.

Mas era tão difícil se concentrar com o corpo macio de Cassie pressionado contra o dele…

‘MORTAL! MONSTRO!’

Finalmente conseguindo tirar a mente do lugar errado, Sunny suspirou e se concentrou em observar o centurião.

A criatura imponente estava se movendo pelo deserto, aproximando-se lentamente. Logo, ele pôde ver cada linha carmesim e cada espinho em sua carapaça desgastada. No entanto, seus olhos estavam fixos em outra coisa.

Cuidadosamente segurado entre as foices do centurião, um belo cristal brilhava com uma luz interna hipnótica. Era brilhante e estranhamente atraente.

Um estilhaço de alma transcendente.

Eles já haviam visto uma cena semelhante, quando um par de centuriões estava recuperando dois desses cristais dos restos da criatura gigante semelhante a um tubarão.

‘Então esse era o destino deles.’

Sunny lançou um olhar para a magnífica árvore no topo do Túmulo Cinzento. Com seus galhos de ônix e folhas escarlates vibrantes, parecia impressionante e majestosa.

Como algo sagrado escondido nas profundezas do inferno.

Ele compartilhou suas descobertas com o grupo, tomando cuidado para manter seu sussurro o mais silencioso possível.

O centurião estava prestes a passar pelo esconderijo deles. Apesar de haver alguma distância entre o caminho dele e a colina, Sunny ainda estava nervoso. Este era o momento mais perigoso.

O monstro se alinhou com a colina e seguiu em frente sem piscar os olhos.

Ele exalou.

“Está caminhando em direção ao Monturo.”

Nephis não relaxou, ainda pronta para qualquer eventualidade.

“Siga-o.”

Sunny assentiu. Um momento depois, sua sombra deslizou por trás da colina, perseguindo sorrateiramente a Criatura do Pesadelo. Com o quanto o alcance do Controle das Sombras havia melhorado, ele estava bastante seguro de sua habilidade de segui-lo até as pegadas da colina cinzenta.

O centurião atravessou o deserto com o estilhaço transcendente firmemente preso entre suas foices. Sua postura era um tanto estranha, parecendo quase… piedosa. Parecia um peregrino caminhando em direção a um local sagrado e misterioso.

Logo, ele se aproximou do Túmulo Cinzento e parou de repente, como se tivesse medo de cruzar alguma linha invisível. Então o centurião colocou cuidadosamente o estilhaço na areia e recuou, com os olhos voltados para o chão.

Depois de se afastar do cristal cintilante, a criatura massiva… ajoelhou-se.

Sunny teve que esfregar os olhos para ter certeza de que não estava vendo coisas.

Ele não estava. O centurião carapaça dobrou suas oito pernas e se abaixou no chão, colocando submissamente suas terríveis foices diante de seu tronco inclinado.

Percebendo o comportamento estranho de Sunny, Nephis ergueu uma sobrancelha.

“O que foi?”

Ele hesitou.

“Espere.”

Nesse momento, sua sombra, que estava escondida em segurança a certa distância do monstro ajoelhado, percebeu uma pequena mudança na superfície do Túmulo Cinzento.

O brilho intenso que haviam visto do topo da espinha do leviatã estava de volta. Só que desta vez, era ainda mais ofuscante.

O brilho subiu no ar a partir das sombras projetadas pelos galhos da imponente árvore e se moveu, aproximando-se lentamente das pegadas da colina.

Quando Sunny finalmente conseguiu discernir a fonte do brilho, seus olhos se arregalaram.

Sentindo um calafrio percorrer sua espinha, ele esqueceu-se de respirar.


Considere fazer uma Doação e contribua para que o site permaneça ativo, acesse a Página de Doação.

Comentários

4.9 16 votos
Avalie!
Se Inscrever
Notificar de
guest
4 Comentários
Mais recente
Mais Antigo Mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
BL1ND4DOD
Membro
BL1ND4DO
3 dias atrás

Sunny com certeza é o azar em pessoa

GreyD
Membro
Grey
28 dias atrás

Kkkkkk esse prota é amaldiçoado

Slimball
Visitante
Slimball
7 meses atrás

Lugar desgraçado esse que eles foram parar hein, só deu merda desde quando eles entraram no mundo dos sonhos

Nonno
Membro
Nonno
7 meses atrás

é o chefe kk

obg pelo cap

Opções

Não funciona com o modo escuro
Resetar